18 out
A angústia do não conseguir engravidar

angustia

Nessa caminhada da espera pela gravidez que não vem muitos são os sentimentos que nos envolve… Desde os bons “companheiros” como a fé e esperança até os não tão bem vindos, mas que em algum momento se apresentam, como o medo, tristeza e a bendita angústia.

Não tem como após um determinado tempo não se angustiar, algumas mulheres mais que outras, mas que ela se faz presente não tem jeito.

Assim que liberamos para engravidar tudo são sonhos e expectativa boa de que em breve se concretizará, se passam meses, se passa um ano, as vezes até mais, e começamos a nos preocupar. Nos alertamos para a hipótese de que algo não deve andar bem e geralmente corremos atrás indo ao ginecologista para uma avaliação. Detectado algum diagnóstico na mulher ou no homem começa enfim a maratona de mais exames, tratamentos e outros possíveis procedimentos quem vêm junto com o “pacote infertilidade”… Ainda tem aqueles casais  que após muita investigação e busca por um diagnóstico não tem uma resposta que justifique a demora da gravidez, estes ficam classificados num grupo denominado dos casais com infertilidade sem causa aparente, e que a angústia tende a estar presente mais constantemente, afinal eles nem sequer tem o direito de correr atrás e tentar reverter algum diagnóstico a ser tratado… Difícil, bem difícil.

Tem solução imediata para não se angustiar? Não, mas tem medidas que de repente possam te ajudar a controlá-la.

A primeira medida a ser tomada é correr atrás e fazer tudo o que esteja ao seu alcance para alcançar a gravidez. Caso tenha sido diagnosticada alguma causa, aconselho a tentar combater e tratar a enfermidade que esteja impedindo possivelmente a gestação. Não havendo causa aparente e tendo condições recorra a tratamentos de reprodução assistida para tentar assim encurtar essa espera da gravidez de forma natural, mesmo tudo parecendo estar sob controle. A consciência de fazer o que estiver ao seu alcance te tranquiliza o coração, então caso estejas na zona de “conforto”, reaja!

Outra forma de controle da angústia é buscar o controle emocional, bem sei que não é fácil mas está nas suas mãos tentar buscar este controle e conseguir o equilíbrio necessário para seguir da forma mais tranquila nesta caminhada. Caso não consiga por si só tente buscar uma ajuda psicológica no processo, que muitas vezes ajuda muito.

Para os que creem em Deus a caminhada se torna bem mais leve, digo por experiência própria. Acreditar, por mais difícil que seja em alguns momentos, que existe um Deus que está no comando da sua vida te traz alívio e conforto. E a comunhão que tenhas com Ele, independente da sua religião, te faz sentir menos sozinha nesse momento que a angústia aperta seu coração.

Também algo que me ajudava demais era de vez em quando dar um tempo no tema… Tempo esse necessário para “desintoxicar” de todo panorama que muitas vezes te esgota emocionalmente. E lhes garanto que esses tempos dados em alguns momentos da caminhada foram decisivos para me reerguer e voltar à luta fortalecida novamente.

Bem sei que muitas mulheres ao lerem essas posturas que aconselho se encaixarão em todas, ou quase todas, e ainda assim em alguns momentos se sentem angustiadas, e isso é inevitável, infelizmente. Mas cabe a VOCÊ tomar as rédeas da situação e não deixar que a angústia tome conta de você.  É normal em algumas situações se angustiar claro! Como não após um negativo ou após uma gravidez interrompida inesperadamente? Somos humanas e somos movidas a sentimentos! Mas cabe a nós chorar no momento devido e depois juntar forças para seguir lutando pelo nosso sonho.

Então, procure estar alerta e não deixar a angústia dominar você, que quando ela aparecer seja breve e passageira ! E que o desejo em ser tornar mãe seja o seu impulso a seguir nessa caminhada, tendo a certeza de que TUDO isso um dia ficará para trás e valerá a pena!

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário