13 out
MEDO, após o positivo tão sonhado

sintomas-preocupantes-gravidez

Meninas, tenho recebido algumas mensagens de seguidoras que, enfim, estão grávidas! E entre os bate papos algo que tem me chamado atenção é o fato da maioria expor que tem sentido medo, que não conseguem desfrutar plenamente da gestação por ter receio de perder o bebê. E sabe o que tenho a lhes dizer? Que é NORMAL! Super normal, após uma espera ansiosa, algumas de anos e  muita luta, se ver ali com seu sonho crescendo no seu ventre e o medo aparecer de vez em quando querendo roubar a cena. Sim, é bem mais comum do que imaginam, afinal quando passa a euforia inicial de quando se descobre e voltamos à realidade de que estamos grávidas, em algum momento se sente um friozinho na barriga de apenas imaginar que pode não dar certo.

O primeiro trimestre então é um “bicho papão” para as mais medrosas de plantão. A chegada às tais 12 semanas então… é o desejo de consumo da maioria das mamães, ex “tentantes”. Como todas já sabem a grande taxa de aborto se dá nesse primeiro trimestre e isso assusta um pouco. Só um pouco combinado? Claro que está bem estar consciente dessa possibilidade, mas não ficar tão apreensiva ao ponto de você não curtir o momento mais feliz e esperado da sua vida. Você está ( ou estará) grávida e isso já é uma dádiva a ser maravilhosamente festejada dia após dia!

Muitas se assustam com algumas sintomas, umas sentem umas colicazinhas, outras se sentem indispostas… E em alguns casos os sintomas são motivos de tensão, e por isso venho aqui lhes alertar e pedir para que tentem relaxar! Não que não estejam atentas a alguns sinais, mas que também não estejam preocupadas ao extremo. Antes que nada pense que você está grávida e que seu corpo estará em constantes mudanças e, consequentemente, alguns sintomas nunca sentidos estarão presentes.

Quais sintomas que devem ser alerta e motivo para se preocupar e entrar em contato de imediato com seu médico? Estive pesquisando e no início da gravidez alguns sintomas que NÃO devem ser ignorados são:

-Sangramento (mesmo que em pequena quantidade)

-Dor Abdominal Intensa

-Febre

-Tonturas e Desmaios

-Náuseas e Vômitos em GRANDE quantidade

Achei inclusive um artigo bem interessante que lhes passarei o link que lista todos os sintomas que não devem ser ignorados em todas etapas da gestação e que desde já (mesmo que você AINDA não esteja grávida) vale a pena dar uma lida e conferir: http://mdemulher.abril.com.br/saude/bebe/sintomas-que-nao-podem-ser-ignorados-em-cada-fase-da-gravidez

Pois bem, estando cientes desses sintomas e atentas para tais, tentem relaxar e curtir esse momento único!

Mas posso lhes confessar algo? Eu também senti esse “medinho”, sentimento este que vai diminuindo quanto mais a gestação for evoluindo, mas que só terminou MESMO sabe quando??? No dia  do nascimento, quando escutei o seu chorinho, senti no bloco cirúrgico que estava tudo sob controle e a tive ali no meu peito amamentando de imediato! Como chorei! Choro de “descanso”, de alívio, de VITÓRIA, enfim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

28 set
Auto Estima, Aliada de Caminhada

autoestima-2

Quantas vezes lhes envio algumas chamadas de atenção quanto ao se cuidar? Quem segue o blog nas redes sociais acredito que já tenha lido algumas mensagens breves sobre o tema. Acredito que ter a auto estima sob controle é algo que nos ajuda a viver melhor nessa caminhada, devido a importância  da pessoa se aceitar e valorizar, procurando sempre se sentindo melhor. Seja indo a um salão de beleza, seja se cuidando em casa, seja indo a uma loja comprar uma roupinha nova, seja tendo criatividade e bom gosto ao se vestir com o que se tem no guarda roupa, claro! Sem esquecer da saúde e bem estar, de controlar o peso e buscar estar com as taxas controladas, quem sabe fazendo algum exercício que lhe traga prazer e ao mesmo tempo lhe ajude a manter o corpo em forma também.

Nessa caminhada de tentativas a auto estima é algo que muitas vezes anda em baixa e isso é perigoso, então resolvi lhes escrever um post sobre o tema, para assim ficar registrado meu alerta e mais uma chamada de atenção, dessa vez fixa por aqui.

Quando liberamos para sermos mães, seja através do gerar, seja através da adoção, e os meses -as vezes anos- vão passando, algumas mulheres  não conseguem “domar” a situação e começam a se “entregar”, inclusive no ponto de vista estético. Algumas chegam ao cúmulo de deixar a situação as dominar e devido a demora da concretização da maternidade vão se anulando, começam a não ter vontade de se arrumar, de se cuidar, e esquecem de si própria e muitas vezes também do parceiro, esquecem da necessidade de uma incrementada na vida a dois, vida que segue e que necessita estímulo para continuar sendo prazerosa.

Então se você está nessa situação PARE agora mesmo e reflita bem sobre isso! A sua vontade de ser mãe pode ser enorme, a ansiedade é grande demais, tem dias mais difíceis que outros, mas NADA justifica você deixar este panorama tomar conta da sua vida! Cadê aquela mulher de antes? Que gostava de se arrumar, que curtia uma saidinha com o companheiro e que caprichava na produção para estar mais bela? (para si própria e para ele, claro!). Não vale se anular, deixar de se valorizar, esquecer de reservar um tempinho para se cuidar e ainda jogar um balde de água fria na relação a dois! A vida tem que seguir, e essa espera tem que ser vivida da forma mais equilibrada possível, por mais difícil que seja,  afinal pode ser uma espera de poucos meses ou quem sabe uma espera de anos… E enquanto seu sonho da maternidade não se concretiza você deixará de se amar, de se cuidar, de se valorizar? Ao contrário! Você deve se sentir uma mulher especial! Ressaltando que não é qualquer mulher que  corre dessa forma atrás de um sonho!

Então a proposta de hoje é você reanalisar sua postura. Caso esteja se esquecendo: reaja! Faça as pazes com o espelho, procure formas de se arrumar mais, de se sentir melhor e de se sentir admirada através de um elogio do seu amor que está de repente ali torcendo por essa sua reação e ficará muito feliz por tê-la de “volta”. Se você já é das minhas e apesar da dor da espera consegue separar as situações, meus parabéns!

Antes de nada, você deve estar em primeiro lugar! “Mas o que mais quero é ter um filho”… Eu lhe entendo demais! Mas enquanto ele não vem, você tem que seguir da melhor forma. Que siga sonhando e fazendo por onde concretizar este sonho, mas não esqueça que… você está viva! E enquanto isso deve seguir com outros planos e cuidando de vários outros aspectos da sua vida, o que com certeza ocupando sua cabeçinha e tempo consequentemente lhe ajudará a estar mais firme e preparada para enfrentar esta espera.

Vamos reverter o quadro? Procurar observar o que estamos postergando e que poderíamos estar pondo em prática enquanto a maternidade não se concretiza? E em meio a tudo isso vamos se sentir mais lindas e procurar nos dar o devido valor que merecemos? E também não esquecer o casal que existe antes de qualquer filho!

Então,  a fazer as pazes com o espelho e a exercitar diariamente o “EU ME AMO e por isso EU ME CUIDO”! Só você pode fazer isso por você. Fato! E quando chegar o filhote lá estará uma mamãe linda a sua espera… 😉

Auto estima ATIVAR!!!

 

22 set
E a dura véspera do resultado do beta hcg

calendario

 

Para quem já enfrentou tratamentos de reprodução assistida ao ler o título deste post deve bem já ter noção do que falaremos… Após um minucioso processo de injeções de hormônios, ultrassonografias mil, entre outros tantos detalhes que fazem parte do panorama… Após a punção, já começa uma sucessão de esperas “sofríveis”, espera para ver se haverão óvulos viáveis para a posterior transferência, estando os  óvulos se aguarda a definição do dia e horário para que sejam transferidos (frio na barriga inevitável!), e enfim chega o tal dia da transferência! Ufa?!!! Agora que começa a espera mais difícil, espera regressiva de 12 dias que as vezes parecem que não passarão mais, se arrastam e judiam da gente por trazer com eles uma explosão de sentimentos…

Mas hoje especificamente venho lhes falar sobre um dia marcante nessa reta final, dia que o coração parece sair pela boca, dia em que você tem a consciência de que no dia seguinte tudo será definido, você saberá exatamente o resultado de toda essa entrega e luta! Bem me lembro no último tratamento que fiz… Na tal véspera a tardezinha me quebrei, chorei sem parar, apesar de toda fé que eu tinha naquele momento muitas coisas estavam em jogo, o rumo da minha vida inclusive em relação a este tema que era prioridade, e naquele momento medo, cansaço,  desespero tomaram conta de mim durante alguns minutos… Uma barra que só sabe quem passa!

Antes do tal dia véspera do beta voce tende a passar por uma série de fases, pelo menos foi assim comigo. Dias de me sentir mega gravida, positiva ao extremo, momentos até de me permitir fazer planos, de sonhar acordada com o grande dia do beta festejando, é claro! Como dessa euforia toda passar de golpe a momentos de receio, desanimo e a cabeçinha começar a querer pensar no “e se nao der certo…”

E durante esse período desde o início do blog venho constatando cada vez mais que a tal véspera do beta mexe demais com muitas mulheres…  Cada uma que viva da sua maneira, mas todas de maneira intensa e tensa em algum momento, e  principalmente neste último dia de espera, antes do dia decisivo e final dessa etapa.

E o que lhes venho dizer? Que você tem todo direito de se sentir assim, que você é humana e por isso nesse momento fraquejar pode fazer parte sim, afinal a “pressão”e a expectativa é ENORME. A sua vida nos últimos dias, nas últimas semanas, parou para girar apenas ao redor deste tema, tema este que vem carregado por um turbilhão de sentimentos. Então se tiver vontade de chorar chore, se tiver vontade de ficar quietinha fique, respeite o seu momento e tente pensar que falta menos, faltam horas para enfim ser descoberto se deu certo ou não o desenlace desse capítulo decisivo da sua história, que independente do resultado, apesar dos pesares, trouxe consigo amadurecimento, exercício da paciência, talvez aumento da sua fé e intimidade com Deus, sabedoria, entre outros que fizeram com que em 12 dias você crescesse e aprendesse lições através da arte de esperar o grande dia…

Respira fundo! E desde já meus parabéns a todas que chegaram até passar por esta prova, que não é para qualquer uma não, é apenas para grandes e admiráveis GUERREIRAS!

13 set
Quero ser Mãe
Cláudia Collucci
Um dia eu estive no seu lugar, nas tentativas para engravidar, e  “de repente” sou para algumas de vocês “a Cláudia” que tanto me ajudou um dia…
Lhes explico… Na época da minha luta contra a infertilidade eu encontrei um cantinho similar a este. Um cantinho que me significava tanto, que me confortava, que me animava, que me fazia acreditar que deveria seguir e não desistir. Era um blog intitulado “Quero Ser Mãe”, maravilhosamente escrito por uma jornalista, a quem admirei desde o primeiro instante, desde a primeira leitura de um texto seu, chamada Cláudia Collucci. Jornalista da Folha de São Paulo, e que na época também estava nas tentativas para ser mãe. Então ela escrevia com precisão sobre o tema, ela sentia na pele exatamente o que eu e outras tantas mulheres sentíamos também, e ela além de não haver ainda conseguido engravidar, sabia de maneira ímpar como acalentar nossos corações. Cláudia foi MUITO especial para mim durante aqueles anos. Anos aqueles que parecem estar décadas atrás quando se refere à tecnologia atual, não existia whatsapp, instagram, as redes sociais mal existiam em comparação aos dias atuais, aliás a internet não havia chegado aos telefones, wi fi era algo inimaginável ainda, pelo menos para mim, hoje tão “dependente”…
Enfim, hoje, através de carinhosas mensagens tenho a honra e orgulho de me sentir um pouco “a Cláudia” na vida de vocês, tendo tido a responsabilidade linda de lhes acolher e de uma forma iluminada escrever algo que para algumas, naquele exato momento, era justamente o que necessitam escutar. Me lembro bem que muitas vezes chegava em casa a noite e ao abrir o computador e me deparar com uma nova mensagem daquele blog era uma alegria imensa! E aqui estou nesta posição anos depois… e é algo mágico ir sentindo que estou desbravando uma missão que tem enchido o meu coração e que tem me levado a este caminho novo e desafiador. São horas a mais de trabalho na minha vida, para quem não sabe trabalho 6 horas num Órgão Público e ainda tenho duas meninas lindas e sapecas, um marido para acompanhar e uma casa para administrar… Mas lhes confesso que tem valido a pena cada hora a menos de sono e um jogo de cintura louco para dar conta da melhor maneira, de tudo.
E quero seguir sendo “a Cláudia” na vida de todas vocês que me deixam entrar nos seus corações, que as vezes me deixam até dar pitacos nas suas vidas, que recebem chamadas e “puxões de orelha” virtuais através de palavras, mas sempre com muito carinho, no intuito de arrastá-las contra tudo que possa fazê-las desistir deste sonho da maternidade.
E mexendo no computador e organizando emails antigos encontro este que enviei para Cláudia em outubro de 2006… Email escrito na emoção, email sonhado, email “dívida” que eu sentia que deveria JÁ o quanto antes escrever para ela, que foi um grande suporte para mim, que me “deu a mão”,mesmo muitas vezes precisando de uma mão, mas que sempre estava por ali a me dizer através dos seus textos: “acredite!”
Com muita emoção divido com vocês aquelas palavras tão esperadas por mim naquele momento, que tenho gravadas no meu email até hoje…
Para você Cláudia Collucci meu eterno agradecimento!
“Cláudia querida, depois de 6 anos nessa espera,
finalmente no ultimo dia 06, após a 3. FIV, tive a
enorme satisfação de ver um numero que jamais esquecerei
na vida:271 – o resultado do meu beta! Tirei licença
do trabalho e nessas últimas semanas a minha única
prioridade é meu bebê tão sonhado que carrego no ventre… O
caminho não foi fácil, 2 operações por causa da
endometriose, tratamentos hormonais, 1 inseminação e 3 FIVS… A ansiedade com
certeza em alguns momentos esteve presente (inclusive, ainda,
por estes dias no princípio da gravidez) mas nunca
jamais deixei que tomasse conta do meu ser, da minha
vida. Acredito que ansiedade sob medida é legal, porque nos
faz crescer e “ambicionar” certas coisas e momentos
saudáveis da vida, mas nunca devemos ser prisioneiras
desse sentimento. Creio MUITO em Deus e nessa última
FIV (a qual de comum acordo com meu marido seria a
ultima tentativa) ACREDITEI de coração e me entreguei
por completo a cada detalhe do tratamento mas
principalmente a JESUS para que fosse feita a vontade DEle!
Necessitava dividir contigo que tanto me ajudou.
Beijo Taci”
17 ago
Uma foto que diz MUITO

parto

O tipo de parto definitivamente não te faz mais ou melhor mãe, já frisei aqui o meu posicionamento sobre e mais uma vez deixo o alerta trazendo esta foto que a fotógrafa Helen Carmina publicou na sua página do facebook e que está rodando o mundo e gerando inclusive muita polêmica.

Nesse primeiro ano do Maternidade Sonhada por mais de uma vez presenciei mães angustiadas por este fato, mulheres que por terem lutado muito para serem mães e que conseguiram, e que se cobram demais! Querem que tudo saia perfeitamente bem, não se sentem no direito de ter medo, de ter dúvidas, pelo fato de estarem no estado que mais sonharam na vida: grávidas. Mulheres que são pressionadas e que se auto-pressionam a serem neste momento perfeitas. E mais uma vez lhes digo: sigam seus corações! Basta de cobranças. Você já estará acertando pelo simples fato de querer acertar! Você já é a melhor das mães por querer simplesmente dar o melhor de si, o seu melhor!

O que o seu filho necessita é te ter disponível para amá-lo e cuidá-lo. O tipo de parto, ao meu ver, é uma opção sua, que só corresponde a você opinar o que acredita ser o melhor para você e para o bebê, sempre auxiliada pelo seu médico de confiança.

Você, mamãe de primeira viagem, que mais do que ninguém está a caminho de um momento tão esperado e desconhecido, não se deixe levar pelas opiniões ou imposições alheias, se dê ao direito de viver da forma mais linda e intensa este momento tão sonhado e único! Sendo o tipo de parto um detalhe, e você e seu filho o principal.

19 jul
Não Existe Culpado Nessa História

Resolvi escrever para vocês sobre um tema que na minha época num dado momento me atingiu e que vez por outra recebo mensagem de alguém com esse mesmo sentimento: culpa! Culpa por ser a responsável de nao poder dar um filho ao casal… E desde já grito para PARAR com isso!
Ontem recebi um email que transcrevo o trecho da frase que abordava este tema:
“Doi tanto. Sinto pelo meu marido, penso que se eu não for capaz de dar um filho – que é um sonho dele também –  ele tem o direito de querer uma mulher que tenha condições disso. Ele não precisa ser responsabilizado por um problema meu.
Você se sentiu assim?”
Se eu me senti assim alguma vez? Se eu cheguei a pensar assim em diversas ocasiões? SIM. Até um dia que resolvi expor isso para meu marido e nesse exato momento ele me fez enxergar o que passarei para vocês agora! Não existe um culpado nessa história! Existe sim um casal que sonha com isso e PONTO FINAL. Casal que se dispôs a correr atrás desse sonho juntos. E sabe como seu parceiro  e você aí que foi diagnosticada com o possível motivo para que a gravidez ainda nao tenha acontecido devem se sentir? Orgulhosos! Sim! Afinal vocês sairam da zona de conforto para travar uma luta contra a infertilidade, que nao é fácil! Sabe a quantidade de pessoas que sequer se animam a correr atrás desse sonho? Por tantos motivos alegados que vocês nem imaginam! Porque pode engordar, porque não gosta de injeção (e quem gosta?), porque tem medo de cirurgia, porque nao pode ou quer parar por uns dias a sua vida para fazer tratamento, e tantas outras desculpas mais!
Pessoas como você são pessoas especiais, pessoas que disponhem seus corpos, seu tempo, parte da sua vida a correr atrás de um sonho de duas pessoas, e seu companheiro que está ao lado deve mais que nunca se orgulhar por ter uma parceira tão admirável ao lado!
Lembro que após um tempo trabalhando a cabeçinha com essas idéias de me sentir a culpada, me quebrei e resolvi me abrir com o marido, disse a ele, morrendo de chorar e com dor no coração, que não era justo ele seguir comigo, porque eu nao poderia dar um filho para ele. Gente ele me surpreendeu me dando uma “bronca”, disse que jamais eu repetisse aquilo e que o “problema” era nosso e que o sonho era nosso, e que me admirava demais! E, ainda, me disse que antes do filho sonhado, estávamos nós dois, e isso é pura verdade! Não se deve esquecer do casal que se conheceu, se apaixonou devido a tantos motivos e de uma hora para outra, devido a dificuldades de ter um filho, joga toda história para o alto? Mais que nunca vocês devem se unir, se cuidar e seguir juntos! E aquelas palavras acalmaram muito a minha alma e me fizeram entender que ele estava certíssimo! E é essa paz que desejo que entre no seu coração.
Já basta tantos pesos que se carrega nesse caminho, desgaste emocional, financeiro, hormônios, picadas, alguns casos de cirurgias, negativos, em alguns casos abortos, dores e desabores, para ficar se martirizando ainda com culpa. De forma alguma! Reaja! Se valorize, se ame! Você é uma pessoa guerreira e corajosa, que resolveu lutar, entregar seu corpo, doar seu tempo, sem medir esforços e por uma causa tão nobre… O desejo de ser mãe (ou pai) falou mais alto e você aqui está se entregando a causa lindamente e deve mais encher o coração do seu companheiro de orgulho e muito mais amor por você a futura mamãe do seu filho.
Combinado então? Ninguém é o culpado! Página virada e em frente SEMPRE!!!
05 jul
Barriga Sonhada

barrigasonhada

Hoje entrei ao quarto das meninas e “congelei” em frente a esta foto que tenho num porta retrato… Gente, já se passaram 8 anos deste barrigão e muitas vezes ainda me pego perguntando se foi verdade… Juro! Sonhei tanto, mas tanto, mas taaaaaaaanto com essa barriga que só quem sonha pode entender o que estou dizendo… Me senti desde o primeiro segundo da gravidez  a mulher mais poderosa da face da terra, minha barriga então era o símbolo e trunfo da minha suada vitória e eu a amei desde o primeiro segundo.
Com um mês de gestação ela já se visualizava, aliás eu fazia questão absoluta de que se mostrasse, que aparecesse. A tinha leve e solta para aproveitar desde o primeiro instante dos títulos gestante, grávida, futura mamãe e o mais lindo de todos: MÃE!!!
Minha barriga por 38 semanas era a parte do meu corpo que mais amava, idolatrava e cuidava! Afinal dentro dela estava o meu maior tesouro. Tesouro este que foi tão esperado e sonhado e naquele momento estava ali, dentro de mim!
Quantas e quantas vezes me acordava um pouco assustada para confirmar uma vez mais que era verdade! E tocava na minha barriga e respirava aliviada… ai, ai… Tive uma gravidez de risco, com alguns sustos a princípio, minha progesterona insistia em não subir , o que é determinante para a evolução da gestação, num outro post lhes contarei bem sobre este tema, mas hoje minhas queridas quero lhes falar dela: da minha tão sonhada barriga!
Foram minutos infinitos ali parada em frente daquela foto até ser “despertada” por gritinhos das duas princesas que, sem eu perceber, estavam ao meu lado a admirar e sorrir com a cena, até que escuto uma meiga voz: “mamãe, o que você está fazendo aí?” Voltei então à doce realidade! Mas fiquei com a foto na minha cabeça e vim aqui dividir com vocês que sonharam ou ainda sonham demais em se ver assim!
Foram tantas as incógnitas até gestar que quando assim me encontrei foram meses curtindo e super atenta à estrela da minha vida: minha barriga, que diga-se de passagem foi uma barriga enorme e linda!
Jamais esquecerei da primeira vez que senti a minha Nana mexer… O quanto esperei por isso! O quanto imaginei como seria até que chegou o dia! Estava com minha irmã quando de repente… sentí! Sentí algo diferente, sentí uma cosquinha dentro de mim, era meu bebê (ainda não sabia o sexo), era o primeiro sinal que sentia plenamente sua presença. Mágico, único, sublime! Foi muito rápido, mas o necessário para me fazer emocionar bastante, e partir daquele momento ela se amostrava de tanto mexer e eu amava cada mexida óbvio!
Então a tal barriga sonhada continuará existindo no meu coração para sempre. Fecho os olhos e posso me ver gravidíssima, e meu coração se alegra pela dádiva alcançada.
Mais na frente falarei da minha outra barriga combinado? Barriga esta que a foto fica do lado da barriga sonhada e que posso entitulá-la de barriga inesperada e que me desarmou de tanta emoção e surpresa… A barriga da minha Tina, meu milagre.
Que fique como ânimo e estímulo para que sigas e se não for com essa barriga física que seja pela gestação do coração, que com certeza também irá tomar conta do seu ser nessa espera do filho que chegará a qualquer momento!
A seguir sonhando e acreditando, sempre!!!
11 jun
Dia de Surpreender!

dia-dos-namorados

Amanhã é o dia dos namorados… Oportunidade para um carinho a mais, de demonstrar a importância do outro, de um momento a dois especial. Oportunidade para reacender aquela chama que insiste em querer se apagar nessa caminhada, eu bem sei que não é fácil, mas também lhes digo que muito disso está nas nossas mãos e é uma decisão nossa mudar de postura.
Então lhes escrevo hoje, na véspera da data, para lhes animar -novamente- a reagir! Comecei a semana postando um texto sobre tesão e infertilidade, e terminarei a semana as convidando a ousar! A surpreender o parceiro e também a surpreender a si própria!
Que tal dar uma geral no visual? Colocar aquele vestido que ele adora, se arrumar, soltar o cabelo e deixar o poder da sensualidade e beleza dominar a cena? Muitas vezes esquecemos até de nos cuidar e temos que estar atentas a isso, por nós mesmas e consequentemente pelo companheiro que deve sentir saudades também.
Se for possível uma saidinha àquele lugar que vocês tanto curtem e não vão há muito tempo?
Ou de repente ficar em casa mesmo e fazer um jantarzinho legal com uma produção especial? Música de fundo, aperitivos, convidar ele para dançar? Sim! Surpreender MESMO!
Deixar claro que para você o casal lhe importa muito! Não precisa ser através de palavras, que seja através de atitudes mesmo, mostrando o quanto lhe faz feliz tê-lo ali com vocês,  que a vontade de ter um filho não será capaz de atingir um sentimento que existiu, antes mesmo desse sonho. Mas atenção! Proibido falar sobre a gravidez desejada, o filho que não chega ou algo similar a isso. Está proibido momentaneamente OK? rsrs
O cuidado um com o outro na rotina diária é o que nos dar muita força e nos impulsiona a seguir! Saber que não estamos sozinhas, que sonhamos juntos torna tudo mais fácil para ambos. E a paixão, as vezes esquecida, é bem vinda sim!
E quando finalmente esse filho chegar e o seu sonho se concretizar, essa base preservada por vocês será refletida na relação da família que estará enfim completa!
E aí? Vamos se animar?
Um dia dos namorados ESPECIAL!!!
dia-dos-namorados-2-495x444