09 dez
E um dia fomos dois

dois

Hoje o Post está sendo escrito sob a inspiração de dias especiais comemorando antecipadamente os 16 anos de casados num lugar muito especial para nós dois: na cidade maravilhosa e mágica, nosso querido Rio de Janeiro!
Só os dois, como um dia fomos durante 8 anos de casados, dentre os quais 6 foram de união e busca da realização do sonho de nos tornar PAIS, mas sempre com o cuidado de não nos esquecer que antes que nada havia um casal que se apaixonou, que lutou muito, que venceu as barreiras de namorar a distância durante 2 dois anos, ele em Buenos Aires e eu em Recife, e em janeiro de 1999 conseguimos nos casar! E lá fui eu morar na Argentina durante 5 anos, e lá fui eu crescer, amadurecer e aprender tanta coisa! Entre elas aprender a amar e respeitar ele do jeito que ele é e assim me sentir também cuidada e admirada do jeito que eu sou. E graças a essa base hoje estamos juntos!
Lhes conto que na caminhada dura contra a infertilidade nos unimos demais! Era uma batalha a ser vencida JUNTOS que não foi fácil, mas ao seu lado tudo se tornou mais leve! Porque eu saiba e ele me lembrava sempre que estava ali para o que der e vier, e me admirava demais pela disposição de correr atrás com todas as forças, dispondo meu corpo a uma quantidade enorme de exames, tratamentos, bombas hormonais, cirurgias e etc etc etc…
E conseguimos!!!
Ele foi demais! Na própria essência da palavra ele foi um companheiro. Segurava as pontas quando eu estava fraquejando. E quando eu chegava próximo ao limite ele nos obrigava a dar um tempo e cuidar da gente. Por mais que os exames apontassem que não poderíamos esperar devido a uma suposta falência ovariana precoce e todas complicações de uma endometriose severa… Ele não queria saber! Em primeiro lugar estávamos eu e ele. Queríamos MUITO nosso filho, mas algo intocável era nossa relação e o cuidado que tínhamos que ter um com o outro.
Gente, venho aqui lhes passar isso por nesses anos todos, desde o início da minha busca e mesmo após minhas vitórias, observar que muitos casais deixam se abater fortemente por este cenário que a infertilidade toma conta, alguns inclusive chegando a se separar.
Esquecem dos dois, esquecem do início, da história que escreveram até começarem essa busca pelo filho que não chega… E é uma pena enorme!
Minhas filhas com certeza são o melhor que me aconteceu na vida até o dia de hoje e para sempre me emocionarei por ter tido a dádiva de ter me tornado a mãe de Mariana e Valentina, minha vitória e meu milagre, mas antes delas chegarem já existia um casal que se divertia muito juntos, que curtia muito a companhia um do outro e este casal por mais que em algumas épocas tudo conspira para que esqueçamos disso, este casal está aqui! E sempre estará! “Só” basta resgatar isso, tendo um momento nosso, como fazemos quase todas as sextas a noite sendo nossa saída semanal ou numa escapadinha de fim de semana uma ou duas vezes ao ano para “nos encontrar”, para voltarmos a ser 2, eu e ele, ele e eu. Não que não gostamos de ter nos transformado em 4, AMAMOS!!!!!!!!!!!!! Mas por nós e por elas mesmas esses momentos é de extrema importância e nos faz voltar a ser mais fortes e unidos para o que der e vier.
Não somos perfeitos, não que não temos crises, não que não brigamos, mas acima de tudo somos um casal que escreve uma história há 16 anos, que venceu a infertilidade juntos, q sonhou e acreditou, que chorou e que sorriu e que está disposto a seguir porque fazemos bem um ao outro.
E vocês, tem se “encontrado” com seu companheiro?
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário