21 jan
Esperando e… Vivendo!

 

Taci (4)

Hoje venho dividir com vocês um pouco da minha postura diante dessa espera carregada de tanta ansiedade que vocês estão vivendo e que eu senti na pele durante 6 anos… Bem sei que não é fácil o “saber esperar” com sabedoria, paciência e tranquilidade… Tem dias então que… aff!!! Nem nós mesmas nos aguentamos! E não é de se surpreender, o desgaste é enorme.
Compartilho então com vocês um pouco do que eu tentava sempre colocar em prática durante os 6 anos nessa bendita espera, para assim seguir “vivendo” em paralelo ok? Aí vai:
– Sempre fui muito grata por tudo que tenho na vida e isso me ajudava demais a reagir quando estava para baixo… Pensava em tantos outros motivos que tinha para sorrir e seguir, e também pensava que muitas pessoas gostariam de estar no meu lugar com “apenas” esse problema…
– Temos que nos cuidar! Sim! Me lembro as vezes que postergava a compra de uma roupa mais justa ou uma sandália com salto mais alto, pensando: ” não vou comprar porque não usarei muito já que irei engravidar” maaaas não deixava de comprar algo lindo mesmo que fosse um modelo que pudesse adequar apenas aos primeiros meses de gestação… E quantas daquelas peças de roupas cheguei a doar porque os anos passaram, saiu de moda e nada da gravidez acontecer… mas sempre buscava me vestir bem, e acima de tudo me ver e sentir bem!
-Manicure semanal, SEMPRE! Foi, é, e será sagrado! Umas unhas bem feitas e um momento só nosso no salão alivia a tensão e elimina o stress. Comprovado! Rsrs. Não admito mulheres que perdem a graça de se cuidar por estarem consumidas por esta espera. Mais que nunca você deve se cuidar! Você merece estar bela, se sentir bem e … o marido agradece!
– Programas diferentes e legais também são muito bem vindos! Viagens, passeios, encontros com amigos queridos, ou seja TUDO que te faça sentir bem e mais leve!
–  Nunca, jamais você deve se sentir pior do que ninguém porque ainda não é mãe. Meu marido sempre me dizia o quanto era orgulhoso de mim por correr atrás desse sonho, sem medir esforços. E vocês não imaginam como levei a sério isso rsrs… eu tenho o maior orgulho do mundo por ter sido tão guerreira! E vocês devem se sentir assim! Nós somos maravilhosas, vocês desde já são vencedoras e admiráveis por não desistir fácil de um sonho tão lindo!
O que quero deixar claro é que a vida segue meninas! Essa mulher que sonha com a maternidade segue viva e necessita ativar e investir outros focos na sua vida enquanto o sonho não se transforma em realidade! Essa futura mamãe é uma mulher que tem outros papéis a desempenhar e ocupar a cabeça e o tempo,  e isso com certeza contribui para freiar a ansiedade também. De repente passa a existir uma profissional que esteja estagnada, ou uma amiga que esteja afastada daquelas que te fazem tão bem evitando um bom bate papo com direito a boas gargalhada , ou o pior e infelizmente o mais frequente: uma esposa que esquece do marido e só o enxerga como possível procriador do filho tão sonhado… entre outros tantos exemplos de mulheres que deixamos adormecidas aí dentro de cada uma de vocês que se estão deixando “ofuscar” pelo assunto infertilidade.
Que o sonho da maternidade seja uma prioridade, concordo totalmente! Mas que saibamos controlar que esta prioridade não seja apenas o que controle a sua vida em tudo. Lembro bem que na fertilização que foi a “vencida”, teria que decidir: ou viajar finalmente para conhecer a Europa ou tirar as férias para fazer a FIV. Adoraria conhecer a Europa, mas a minha prioridade era o tratamento e nao me arrependo da escolha, mesmo que nao tivesse dado certo, como de outras vezes… Mas por que optei e sei que fiz o certo? Porque vinha esperando e vivendo! A minha vida seguia por mais que sonhasse e sofresse com a demora da concretizacao do sonho de ser mae, eu não deixava que a infertilidade controlasse a minha vida como um todo.
Por isso te peço que reanalise e reveja suas posturas nesse momento, que o assunto da maternidade sonhada seja prioridade, mas que não seja TUDO para você, afinal existe uma vida a se viver, combinado? Então, mudanças de atitude: se cuidar, cuidar do parceiro, se amar, se valorizar e… VIVER!!!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário