13 dez
Juntos, SEMPRE!

casal

Um dos sentimentos que vejo que existe diante de tanta angústia nessa espera pelo filho que não vem é o medo do companheiro(a) se cansar, não ter paciência e não esperar ao lado até o “fim”. E é algo que gostaria que refletissem comigo hoje. A pessoa que está contigo se apaixonou por você, te conquistou, te admirou pelo que você é, por esta mulher que existe aí, mesmo que você própria tenha se esquecido, volte às lembranças do início, lembre-se de vocês, como se apaixonaram, quais as qualidades que chamaram atenção um ao outro. Aposto que jamais alguém olhou para outro já com o imediato interesse de imaginar aquela pessoa como a mãe ou pai dos seus filhos. Esse desejo e certeza vem com o tempo após já haver uma relação minimamente consolidada. Quando se libera para engravidar a aposta é que em breve já estarão ali grávidos e felizes fazendo o enxoval do rebento e muitas vezes, bem sabemos, que não é bem assim não… Os meses passam, alguns diagnósticos aparecem, outras vezes não, e a ansiedade vai tomando conta do panorama… Exames e mais exames, Probabilidades, picadinhas, as vezes cirurgias no meio do caminho, outros procedimentos mais, e a ESPERA que vai nos consumindo… E no meio de TUDO isso as vezes surge a insegurança de que o companheiro não aguente esperar, caminhando ao lado… O que lhes tenho a dizer? Que se ele lhe ama de verdade ele esperará até o fim, até o desenlace final, segurando a sua mão e torcendo por vocês dois. Porque quando surge a infertilidade não deve existir culpados e sim um casal que sonha junto e que sendo assim devem permanecer juntos e unidos sempre, aguardando o que lhes estiver reservado, um filho da barriga, um filho adotivo ou até, de comum acordo, o não ter filhos. Acima de tudo está o casal, assim começaram só os dois e este fato da dificuldade de não conseguirem engravidar não deve ser sob hipótese alguma motivo para uma separação, ao contrário, deve ser sim motivo de maior união e apoio. Se sua parceira ou seu parceiro foi diagnosticado com algo que esteja impedindo a gravidez tão sonhada e este(a) decide correr atrás e se dispor a tentar contornar a situação deve mais ser admirado(a) e mais amado(a)! Alguma vez já citei essa cena por aqui mas volto a repetir… Sim, eu também já passei pelo que algumas de vocês está passando, estava no hospital no pós-operatório de uma cirurgia de endometriose e já naquele momento desabei e disse entre lágrimas ao marido que ele não tinha para que continuar comigo caso não conseguisse lhe dar um filho e para minha grata surpresa recebi uma lição e prova de amor quando ele seriamente, e até um pouco chateado, me disse para NUNCA, jamais repetir aquilo, porque ele tinha se apaixonado por mim, porque éramos felizes demais os DOIS e que ele me admirava muito por estar passando por tudo aquilo pelo NOSSO sonho, confessando inclusive que se fosse ele não saberia se teria a mesma coragem que eu estava demonstrando ter. Naquele momento eu entendi a “mensagem”, naquele momento compreendi que o amor vai além, que isso o que eu senti e que de repente você esteja sentindo é muito mesquinho diante do amor verdadeiro, que tudo suporta, que é fiel, que é leal, que apoia quando você mais necessita, que está ao seu lado literalmente para o que der e vier. ENTENDEU? Espero que sim! Que ambos os lados possam analisar sua postura nesse momento.

Por um lado: você está se valorizando como deveria? Por outro lado: você está valorizando e apoiando seu companheiro(a) como deveria? Se não, a começar agora! Definitivamente quem ama cuida e PONTO FINAL.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário