21 abr
“Não estão conseguindo engravidar? Por que vocês não adotam?”- A velha frase que se repete.

ADOOFOTO

O título deste post é o mesmo que a psicóloga paulista Luciana Leis brilhantemente escreveu no seu blog www.lucianaleis.wordpress.com. Nem a conheço ainda, um dia quero conhecê-la pessoalmente sim, mas ela escreveu sobre um tema que há tempos já pensava em expor por aqui… A tão conhecida “resolusão” que os demais fazem pensando em nos ajudar e resolver o problema da infertilidade, opinando que de um dia para o outro um casal que está buscando a gravidez resolva optar pela adoção, como se fosse algo simples assim… Adoção ao meu ver é algo que nasce de dentro, e jamais deve ser imposta.
Em alguns outros posts já deixei claro a minha posicao sobre o tema maternidade e os meios para tal, e ser mãe independe da forma como o filho chegue, através da gravidez ou do gerar no coração através da adoção, estou certa que não deve existir diferença e que o amor é o mesmo, infinito, indescritível!
Conheço vários casais que optaram por adotar. Uns, talvez a maioria, que após uma longa jornada de tratamentos para infertilidade se cansaram e sentiram que poderiam muito bem se realizar adotando, e vários, lhes garanto, se lamentam por nao haver optado pela adoção antes de tão realizados que se sentiram ao se tornarem pais. Há outros casais que também conheço suas histórias e que tiveram a adoção como sua primeira opcao, como a Luciane Cruz do blog www.gravidezinvisivel.com, por exemplo.
Enfim, vivo alentando às seguidoras a seguirem em busca da maternidade sonhada! Lhes passo minha história e experiência durante 6 anos de tentativas para engravidar e assim seguirei, pois bem sei o quanto é difícil, mas também sei o quanto vale a pena. Porém, ao mesmo tempo que as animo falo sobre seus limites. Sim, cada uma tem seus limtes, cada casal tem seus limites, esses tratamentos são muito desgastantes e sinceramente acho que deve-se se respeitar esses limites, pelo bem dos envolvidos na situação, e quando se decide haver chegado nesse momento muitos casais despertam de coração para adoção, um despertar verdadeiro, uma abertura verdadeira para essa opção, não como segunda opção e sim, sinceramente, naquele momento, como a primeira, única e almejada opção. E aí começam outra caminhada repleta de burocracias mas que quando chega o dia do ENCONTRO com seu filho, já escutei vários relatos e já tive a honra inclusive de presenciar um primeiro encontro, se confirma e não há dúvidas alguma que aquela criança nasceu para aquele casal e vice e versa. E ali, naquele encontro, naquele “parto”, nasce uma família!
Então divido com vocês esse post maravilhoso que transcreve tão bem o que eu sempre quis repassar para vocês sobre o tema e me despertou novamente lhes escrever um pouquinho sobre, mas que Luciana Leis escreveu com profissionalismo e com o coração, de uma psicóloga que atende pessoas com problemas de infertilidade:

“Hoje quero discutir aqui algo que, a maioria das pessoas que está com dificuldades para  engravidar, já deve ter escutado, a famosa frase: ” Não está conseguindo engravidar? Adote! Tem tanta criança precisando de um pai e uma mãe!”. Como se esse fosse o remédio para a infertilidade e ponto.

Percebo que muitas pessoas que estão passando por problemas para engravidar e que, no momento, não cogitam adotar, acabam se sentindo meio culpadas em não desejar a adoção, pois se existe tanta criança abandonada, caberia a elas, mais do que a outras pessoas, colaborar para que esse número diminua.

Acontece que, nem todo mundo que vive a infertilidade cogita a adoção como possibilidade para si- e isso não é um absurdo. A maioria das pessoas que se depara com a infertilidade deseja um filho biológico como primeira opção, porém, se com o tempo e os tratamentos esse filho demora a chegar, percebo que a adoção pode passar a ser cogitada como um possível caminho para a realização do sonho de ser pai e mãe.

No entanto, a adoção só será bem sucedida se realmente houver abertura para amar uma criança adotada como sua. Se o luto pela perda do filho biológico não acontecer, não há como esperar que pais e criança fiquem bem. Por isso que eu costumo falar que a adoção não é para qualquer pessoa, somente para as que estão abertas a essa possibilidade de realização do desejo.

Outra frase bem comum do senso comum é: ” Adote que logo você engravida!”, simples assim, como uma receita de bolo!

Socorro! Eu tenho arrepio dessas soluções prontas. E fico ainda mais preocupada com as pessoas que acreditam nisso e criam a fantasia de que esse é o caminho para resolverem seu problema.

Uma criança a ser adotada precisa encontrar um lugar de filho junto aos pais adotivos, e não vir com a função, na fantasia dos pais, de abrir caminho para o filho biológico. Precisamos ser cuidadosos quando buscamos soluções para nossos problemas.

O fato é que no meio à sua volta, nunca faltarão pessoas para dar palpites em como você deve resolver sua dificuldade de gravidez, e, na fragilidade emocional que envolve esse momento, não é difícil levar em consideração o que é dito sem avaliar, realmente, o que se deseja fazer para possibilitar a chegada dessa criança.

Cada casal, cada pessoa, precisa avaliar com cuidado e sensibilidade os caminhos que lhe são possíveis trilhar na busca por esse filho, quer seja através dos tratamentos para infertilidade ou pela via da adoção.”

Luciana Leis

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
19 abr
Só sabe quem passa

nomeulugar

Em muitas situações da vida você só pode entender realmente o próximo se algum dia passar por aquela determinada situação. E assim ocorre para quem sofre com a infertilidade.

Boa parte das pessoas não fazem a menor ideia do quanto dói e machuca essa espera absurda pelo filho que não vem. Por trás daquela espera existe um casal calejado, frustrado e muitas vezes cansado dessa rotina dura das tentativas e negativos enfrentados.

Mas está nas nossas mãos, além dessa dor que já enfrentamos enquanto esperamos, nos deixar ser “maltratados” pelas pessoas que cruzam pelo nosso caminho com comentários inoportunos e muitas vezes indelicados, nos pressionando a responder muitas vezes perguntas sem respostas…

-E não querem ter filhos não?

-Já está passando da hora viu?

-Fulaninha casou bem depois e já está indo para o segundo filho sabia?

E por aí vai… Várias “pérolas” que temos que escutar e muitas vezes com um sorrisinho amarelo desconversar…

Quando estava nessa espera eu resolvi “desarmar” comentários assim sendo direta e objetiva, ou seja assumindo a infertilidade, meu desejo enorme de ser mãe e minha luta para engravidar. Não para causar pena, jamais! Mas sim para me livrar de menos uma possível cobrança futura. Ou seja, passava por mim com essas indagações, saia totalmente esclarecido com resposta mais do que bem respondida, fazendo com que aquela pessoa certamente nunca mais voltasse a me questionar novamente. Ufa!

E quando achava que ainda era oportuno, ou seja que aquela pessoa tinha que ser reforçada para não voltar com perguntas ou comentários indelicados, eu fechava com um comentário que me fazia ter a certeza que a partir daquele momento colocaria um ponto final naquele assunto:

– Você não imagina como sonho com isso e como dói.

PONTO.

Pois bem, a pôr em prática o amor próprio e espantar as pessoas sem noção que nos cerca. Ao nosso redor só coisas boas e pessoas que torcem por nós sem cobrar, ao contrário, nos apoiando e nos ajudando a fazer a caminhada mais leve.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
17 abr
No Tempo “Certo”

No-tempo-de-Deus

Frase clichê que de repente até incomoda escutar nesses tempos de espera e incerteza, mas acredito sim no tempo certinho para tudo acontecer nas nossas vidas.
E prova disso é que quando muitas vezes esperamos por algo e após um tempo de espera isso acontece, o que mais vemos se repetir é a confirmação de que havia chegado no tempo certo devido a isso ou a aquilo. E tudo se encaixa perfeitamente!
Então hoje peço para que reflitam no tempo determinado para tudo acontecer na sua vida. Isso não quer dizer que você tem que cruzar os braços e não correr atrás, de forma alguma, isso sim quer dizer que não deixe a ansiedade tomar conta de você e que a desilusão da espera não deve amargar sua vida enquanto não acontece, porque afinal outras coisas têm acontecido para você aproveitar e viver, enquanto aquela tão sonhada não acontecer… Mas que um dia, reservado para você, irá acontecer!!!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
14 abr
Meus 40 anos!!!

40anos1

A pedidos de muitas seguidoras daqui de Recife e de algumas cidades vizinhas, resolvi sair brevemente do foco do nosso blog para dividir com vocês mais imagens e comentários sobre minha festa de 40 anos.
Para os que ainda não sabem eu completei meus 40 aninhos no último dia 6 de abril e a comemoração foi no sábado passado, dia 11.
Segundo o meu marido e algumas amigas, nunca conheceram ninguém tão feliz e animada em organizar sua entrada aos “ENTA”. E foi bem assim mesmo, pensem numa alegria! Mas não seria para menos afinal com tanto para festejar a vontade era imensa! Ter a honra de poder reunir família e amigos numa data tão especial como esta, com todo apoio e incentivo do marido, era de vibrar, e MUITO!
Muita gente ficou curiosa sobre os profissionais que participaram da festa, por através de poucas fotos postadas já ter dado para perceber que foi linda demais mesmo!
O local escolhido não foi nenhum buffet não, foi o salão de festas do meu edifício aqui em Recife. Um salão climatizado com capacidade para 70 pessoas sentadas, mas que tem uma área externa descoberta ao lado que resolvi aproveitar e assim ganhar mais espaço alugando um toldo e transferindo todas mesas para área externa, deixando para a área climatizada as bandas que se apresentaram, a mesa do almoço, o barman e o barril de chopp.
40anos2
Dessa forma o espaço ficou bem distribuído, foram 110 convidados e todos ficaram muito bem acomodados.
A decoração foi um diferencial a parte, optei por confiar numa amiga minha Fátima Rodrigues, proprietária de uma empresa de aluguel de peças de decoração chamada Mussalem Objetos, em sociedade com a também querida Raquel Mussalem, que tem umas peças lindíssimas e diferenciadas e que há pouco tempo resolveu profissionalizar o seu bom gosto que já vinha sendo exposto em várias festas dos filhos, sobrinhos e amigos, e garanto que os pernambucanos a partir de então ganharão com o brilho, atenção, criatividade de Fátima Rodrigues.
Todos se encantaram com a mesa do bolo e docinhos organizada por Fátima, ficou um encanto mesmo! Aliás o bom gosto de Fátima Rodrigues estava em muitos detalhes, dos quais alguns exponho nas próximas fotos.
40anos3
 A composição da mesa e seus encantos: florida, colorida e LINDA!
40anos4
Centros das Mesas, carinho nos mínimos detalhes
40anos5
Além de linda a festa foi muito animada! Contratamos duas bandas. Primeiro uma banda que toca  pagode das antigas que arrasa sempre, não tão conhecida em Recife mas que já tocou em várias festas da minha família e recomendo muito, se chama Som do Bem.
40anos6
Nesta foto acima começando a esquentar, abrindo o salão… e quase não saí mais dele, que em seguida bombou de gente animada e querida!
Após quase 3 horas de show da Banda Som do Bem foi momento de fortes emoções. O marido arrasou num discurso que fez muita gente chorar e sorrir ao mesmo tempo, com suas palavras relatando a minha pessoa e não deixando de mencionar nossa luta para engravidar. Quando eu pensava que não tinha mais lágrimas e já havia terminado as homenagens a minha irmãzinha comunica que tem mais uma surpresa para mim e posta num telão depoimentos de pessoas queridas, algumas delas que moram fora e não puderam estar aqui e que amo muito. Presentes esses que não tem dinheiro que compre, momentos que ficarão guardados para sempre no meu coração.
40anos7
Esses dois quase me matam de emoção
40anos8
Terminando esse momento chegou a hora do Parabéns e consequentemente a hora de todos provarem do belíssimo e delicioso bolo que brilhou no meio da mesa, feito pela amiga Vania Elihimas. Os docinhos também estavam divinos e foram de Ana Fulana e de Nicélia.
E não posso esquecer de citar o buffet que foi o Ocasião Informal que faz uma feijoada saborosa que não tem pra ninguém, servindo antes uns petiscos deliciosos e o serviço é impecável!
40anos9
Após os parabéns literalmente fomos contemplados por um show de pop rock nacional com a banda recifense que adoro e SUPER recomendo por ser fã! Se chama Dick e os Vigaristas e um dos integrantes é um amigão nosso, Edu (médico e nas horas vagas músico) esposo de uma amiga minha da adolescência, Gabi. Eles simplesmente arrasaram!!! No repertório variado Lulu Santos, Legião Urbana, entre outros e ainda dando umas canjas de Mamonas Assassinas e inclusive, para delírio geral, do rei Reginaldo Rossi. São demais mesmo! Indico muito.
O vocalista em algum momento sempre interage com o público, me deu espaço inclusive para dividir o palco e foi diversão garantida!
40anos1040anos12
Toda festa foi registrada por Rachel Girelli, que indico demais! Fotógrafa oficial das festas da minha família, digo que ela fotografa com a alma porque consegue captar de uma maneira única os lances mais lindos de uma festa. Encantada por tê-la uma vez mais clicando momentos especiais da minha vida.
No final lhes passarei todos os contatos desses profissionais que fizeram a minha festa, segundo os convidados, ter sido perfeita!
Claro que tendo tantos detalhes bem cuidados tem tudo para a festa ser maravilhosa mas quem abrilhanta uma festa de verdade são as pessoas que estão nela e eu, graças a Deus, tenho uma turma linda de família e amigos que foram o ponto máximo da festa com certeza!
E não poderia terminar esse post sem uma foto das minhas maiores vitórias e motivos de festejar a vida: as minhas meninas, minhas filhas Mariana e Valentina, meus tesouros me dando beijo sanduíche que amo tanto!
40anos11
Então vamos lá aos contatos dos profissionais que indico de olhos fechados:
Decoração: MDecor8  (81) 8166-5160 – Fátima Rodrigues
Peças Decorativas: Mussalem Locação de Objetos (81) 9960-6781
Fotografia: Rachel Girelli (81) 9602-1379
Bolo: Vania Elihimas (81) 9682-2701
Docinhos:
Nicélia (excelente preço e deliciosos doces, também faz salgados e tem serviço de buffet com preço diferenciado): (81) 9658-8951
Ana Fulana (fez os jarrinhos lindos de chocalate e flores de açucar que deram um charme à mesa): (81) 8890-8007
Dona Bem Casados: (81) 8860-3142
Buffet: Ocasião Informal (81) 9963-6239
Bandas:
Som do Bem (81) 8889-6769
Dick e os Vigaristas (81) 9966-4715
Personalizados: Sonhos de Papel (81) 8838-5338
Aluguel de Móveis para Festas: Gomes e Sá (81) 3242-3616
Chopp Devassa: (81) 9742-8833
Barman: Augusto Portela (81) 9625-9092
Aluguel do Som: Marcos (81) 9760-1929
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
12 abr
A Terceira FIV e os embriões a serem transferidos – A Espera

blog-mulher-voando

Foram dois dias de espera que pareciam infinitos… No dia após a função recebi um telefonema do médico. Era um sábado e estava eu na piscina do prédio acompanhada do marido, os dois super pendentes do celular. Sabíamos que a qualquer momento nos chamaria para nos dar alguma posição sobre os 3 folículos puncionados… E assim foi… estava dentro da piscina quando o celular tocou e na tela identificava o número do médico, meu marido avisou e “voei” para atendê-lo. Os 3 folículos haviam fecundados, dois estavam se desenvolvendo muito bem e o outro, segundo palavras do médico, estava “engatinhando”… Frio na barriga, mas um certo alívio… Ansiedade para já saber quantos embriões estariam aptos para serem transferidos. Nunca havia passado pela experiência de ter mais de um para transferir, na primeira não houve sequer UM nem para puncionar e na segunda fertilização houve apenas um  transferido, e como sabem não deu certo. Eu queria MUITO pelo menos dois! Sei que precisaria apenas de um para engravidar do filho tão sonhado, mas confesso que o fato da probabilidade de ter mais de um para transferência seria decisivo para eu seguir na onda de esperança instalada desde o princípio daquele tratamento.
Devido ao prognóstico inicial já nem pensava nos três, mas torcia pelo menos por dois a serem transferidos e esta resposta receberia naquele mesmo dia ou ainda no outro dia…
A partir de então não “desgrudei” do telefone e combinei com o marido de estarmos juntos o tempo todo para recebermos a notícia de quantos embriões teríamos para a tão esperada transferência. Tínhamos o casamento de uma amiga e teria que sair para comprar o presente, já que era no início da manhã não imaginaria que me ligassem e resolvi ir a loja que ficava próximo da nossa casa sozinha, já sabia o que iria comprar e seria no máximo meia hora para já estar de volta em casa com o marido na espera… Quando chego na loja o telefone toca, meu coração dispara quando vejo que era o médico! Sim! Estaria me ligando para me avisar… Tremi, MUITO!
-Taciana? Preparada para fazermos a transferência amanhã?
-Claro! Mas… de quantos?…
-De dois lindos e perfeitos.
Chorei!!!
A vendedora que me atendia, não entendia nada e de imediato foi pegar um copo de água! Eu a abraçei! Eu não tinha cabeça para mais nada! A compra ficaria para depois, precisava do abraço do marido! Precisava dividir a boa notícia com todos amados que estavam nessa pendência juntamente a mim! E foi alegria para todo lado! Marido, mãe, irmã! Eles que estavam ali passo a passo do meu lado, torcendo e sofrendo juntos.
Até hoje a funcionária daquela loja trabalha lá e todas as vezes que compareço ela me lembra do episódio, episódio esse que fez com que até ela naquele momento se envolvesse e se emocionasse. Ela diz que não esquecerá jamais da minha emoção, imagina eu…
No dia seguinte seria a tão esperada transferência dos dois embriões lindos!
esperatransf

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
29 mar
E, enfim, os ovários um dia resolveram responder!

ovariosdiario

E seguimos com mais um pedaçinho do diário… Após alguns dias de estímulo fomos fazer ultrassonografia para visualizar a resposta dos ovários… Para mim ultrassonografia em processo de tratamento era sinônimo de ansiedade aguda, afinal até então meus ovários nunca haviam respondido bem aos hormônios, aliás sempre haviam respondido pessimamente e a quantidade de folículos era sempre inexpressiva… E lá fomos nós, coração na boca e fé no coração, sem olhar para trás e com aquela esperança de que essa vez seria diferente…
Cheguei na clínica e após uma breve espera, que se eternizou, fui chamada… E pela primeira vez recebia ótimas notícias, os ovários haviam “despertado” e se visualizaram 10 folículos!!!!!!!!!!!! Um verdadeiro exagero na minha vida, algo até então impesado a essa altura! Eu? Com 10 folículos??! Alegria foi o sentimento que transbordou em mim naquele momento, tudo estava sendo diferente dessa vez e algo me dizia que o resultado seria diferente também!
Dois dias após teríamos uma nova ultrassonografia e a ansiedade multiplicada! Será que ainda estariam ali os 10 folículos? A postos lá estava eu para receber mais novidades… Dessa vez 12 folículos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Não, eu não estava sonhando! Eu, diagnosticada recentemente com falência ovariana precoce, e me amostrando na quantidade de folículos jamais alcançada, aliás que nunca havia chegado perto dessa quantidade.
Havia chegado a hora, dia 19/10/2006, hora do ovidrel, remédio responsável pelo amadurecimento dos folículos para posterior punção dos mesmos. O horário deste remédio é calculado pelo médico para coincidir posteriormente com o horário da punção dos folículos. No meu caso o horário indicado seria a 1:30hs da madrugada. Despertador programado, enfermeiro agendado para aplicação e insônia presente, estava chegando a hora!
Dia 20, e nos encaminhamos ao hospital indicado pelo médico para realização da punçao. Era a hora do tudo ou nada, era momento de saber se aqueles folículos seriam devidamente puncionados e assim teríamos a possibilidade de congelamento de alguns deles, o que até bem pouco tempo era algo impesado para mim devido ao meu histórico, e agora com o resultado dos 12 folículos visualizados seria uma esperança que naquele momento teria a mais, ou seja, a oportunidade de voltar a sonhar novamente, caso fosse necessário…
Chegou a hora de entrar para procedimento da punção. Como é de praxe a punção é feita sob sedação e em alguns minutos já estava sedada, com uma ansiedade louca de já voltar a consciência para saber o resultado da punção…
Chego ao quarto, ainda um pouco sonolenta e minutos depois entra o médico. “Ocorreu tudo bem… Silenciou, e logo após me disse: conseguimos a punção de 3 folículos!” Não tive como dissimular um certo desânimo. Como poderia ser? E não eram 12? O médico me comenta que os outros nove folículos estavam vazios . Poucos minutos de tristeza, mas ele não me deixou desanimar!
-Ânimo! Você nunca tinha conseguido até então mais que dois folículos e dessa vez conseguiu três!
Era verdade… Teria que esquecer aqueles 9 e me alegrar com os 3 folículos que ali estavam se encaminhando para a próxima e decisiva etapa da transferência embrionária!
Não lhes minto que o coração ficou apertado, afinal teria agora que esperar quantos iriam evoluir para a transferência que se daria nos próximos dias… Medo e fé, esperança e ansiedade, turbilhão de sentimentos, mas minha postura de vencedora tentava dominar a situação, por mais difícil que fosse… E agora me restava esperar o telefonema do médico ao outro dia para me comunicar o resultado de quantos embriões estariam aptos para a transferência…

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
26 mar
Pronta para Vencer – 3a FIV

mulher rezando

Após a última consulta, com o novo médico e havendo sido diagnosticada a falência ovariana precoce, estando ciente de que a porcentagem de êxito era bem inferior ao que havíamos imaginado, se passaram alguns meses para que pudéssemos nos recompor de todo aquele novo cenário a ser enfrentado.

Não foi fácil, a princípio só fazia chorar e me lamentar, mas não durou muito. Sempre fui de reagir e não me entregar às dificuldades da vida, e não seria diante do que mais queria e sonhava que eu iria fraquejar. Tomamos um tempo para nós dois, fizemos uma pequena viagem e tentamos ao máximo viver sem essa pendência que nos fazia sofrer, e conseguimos por alguns momentos!  Sempre fomos muito companheiros, e isso me sustentava e me dava força para seguir.

Até que chegou um momento em que eu senti que estava na hora de voltar para a batalha! Mas voltar para batalha não como uma perdedora que perdeu as últimas lutas, e sim como uma brava guerreira que colocaria toda fé e foco naquela que seria possivelmente sua última batalha, e que desde já dentro do meu coração não havia outro sentimento do que aquela seria A VENCIDA!

Retornamos ao médico. Após uma horinha de espera fomos chamados para entrar. Ao me aproximar da sala o médico já nos esperava com a porta aberta e um largo sorriso. Coitado, acho que ele ainda estava sensibilizado com as últimas cenas que eu tinha protagonizado na última consulta, uma mulher arrasada, cansada e entregue ao stress de uma luta de anos, mas  para surpresa dele se deparou com uma mulher determinada, forte e positiva! Definitivamente eu tinha voltado como ele tinha me pedido, tinha voltado para agarrar com unhas, dentes e coração aqueles 5% de chances da fertilização dar certo, conforme ele mesmo tinha me alertado que não era 0% e sim 5%, então naquela porcentagem poderia estar a minha vitória!

O médico se surpreendeu e se alegrou muito com a minha postura, e após combinarmos os procedimentos a seguir para a fertilização, ele demonstrou claramente que entraria na batalha conosco: para ganhar! “Tenham certeza de que o que depender de mim já deu certo. Façam a parte de vocês, que farei a minha da melhor forma, e seja o que Deus quiser.”

E assim partimos, nessa atmosfera de esperança, para mais um tratamento, aliás para O tratamento que jamais esqueceremos. Foi especial em todos os sentidos!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
18 mar
Ao filho que “apenas” existia no coração

mulher-coracao-amarelo-07g

Após aquele primeiro texto escrito no dia 20/09/2006, no diário que iniciei a escrever para meu filho que estaria “a caminho”, cheguei a escrever algumas vezes mais lhe contando sobre seus pais, sobre o que eu fazia naquela época, onde o pai trabalhava, que naquele momento ele viajava demais a trabalho, onde morávamos, um pouco da nossa rotina e como já sonhávamos em vê-lo(a) ali inserido(a) no nosso dia a dia. Após essa primeira “apresentação” voltei a escrever no dia 05/10/2006 relatando um pouco em relação à 3a fertilização que já estava em curso com os medicamentos e ultrassonografia marcada para analisar como estaria respondendo aos hormônios.
No meio de tudo isso a ansiedade veio com tudo e em um desses dias foi um pouco mais forte que eu, só um pouco… e em seguida lá estava eu em pé, firme de novo, ACREDITANDO!
Mais na frente… Dia 12 de outubro de 2006: dia das crianças! E lhe escrevi para já lhe parabenizar, afinal ele ou ela já existia há alguns anos nos nossos corações!
Com vocês as fotos desses breves, mas intensos textos ao bebê que viria…

diario diario2

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone