15 jan
E ela não desistiu, e Levi chegou!

FullSizeRender-6

 

Ontem foi dia de ir à maternidade! Programa que adoro, nem necessita explicar o por quê, não é mesmo? Geralmente todas as idas a maternidade para conhecer o bebê de uma amiga já é emocionante, mas a de ontem foi além… Chegou Levi! Um bebê que foi MUITO sonhado, filho de uma amiga querida da escola, que após muitos anos de amizade se uniu e se achegou mais ainda a mim quando se deparou com este mundo das dificuldades para engravidar, que eu tão bem conhecia…

Foram 7 anos de luta, tratamentos, negativos, exames e procedimentos invasivos, dores, lágrimas. Em algumas épocas nos falávamos mais, em outras o silêncio dela imperava e eu a respeitava, mas estava sempre atenta a alguma novidade ou brecha para poder estar.

Torcer? Demais da conta! Eu dizia para mim mesma que só descansaria quando a visse com um filho, e ontem ao entrar naquele quarto minha alma ficou mais leve! Lá estava ela amamentando o seu sonho, agora realidade, todinho seu, assim como ela tanto sonhou, aliás, com certeza, bem mais do que um dia ela ousou sonhar! Porque é bem assim, não existe como explicar, nada, nenhuma palavra ou atitude pode traduzir TUDO o que se sente quando enfim chega o dia, quando você enfim tem nos seus braços o seu filho, quando você enfim é mãe, para sempre, mãe! E lá estava ela e ele, um amor que nasceu há tempos atrás, e que enfim se encontraram…

Foram vários os tratamentos de reprodução assistida, foram picadas e mais picadas na barriga (inclusive até o final da gravidez), foram muitas desilusões, busca eterna por diagnósticos mais precisos, mudanças de equipes médicas. A luta foi grande mas lá estava ela como brava guerreira que não foge à luta, que bem sabe o que mais quer, e que apesar dos pesares seguiu! E por não ter desistido… conseguiu!

Jamais esquecerei o dia em que me telefonou para dar a boa nova, uma manhã num final de semana, eu ganhei o dia! A alegria dela era a minha! E tive que engolir essa alegria por uns dias até ela liberar para eu gritar aos 4 cantos do mundo que Mona seria mãe! Tão merecidamente, tão dignamente, tão corajosamente!

Nunca esquecerei nossos papos, seus desabafos, seu cansaço e desânimo em alguns momentos, como sua garra e perseverança nos recomeços. Confesso que tinha medo que você desistisse, e quando assim pensava na possibilidade você surgia mais forte que antes, voltando a acreditar!

Ai amiga… Como estou feliz por você, como estou orgulhosa de você! Você que é tão discreta, mas que aceitou imediatamente falar um pouquinho da sua história aqui, como mais um exemplo a tantas mulheres que ainda estão na luta e que ao ler casos assim se enchem de esperança! Assim como aconteceu comigo um dia, com você e com tantas que neste momento lêem emocionadas esse recadinho que o fofo do Levi e sua mamãe Mona Lisa lhes manda: NÃO DESISTA, vale a pena seguir!

Parabéns Mona! Bem vindo Levi!!! Deus os abençoe sempre.

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
12 jan
Mais um ano por aqui!

voltei1

 

Olá pessoal!!!

Nao vinha aqui desde o ano passado e na verdade que sentia falta! Estive presente, sempre que dava, nas redes sociais (facebook e instagram) mas parar para sentar e lhes dedicar uns minutinhos a mais nesse cantinho que é meu xodó estava complicado… Tudo seguido: Natal, ano novo e férias! Mas aqui estou novamente com as pilhas carregadas para lhes trazer um pouco de energia, apoio e esperança!

Sempre que começamos um novo ano, por mais que alguns tentem nos convencer que é algo meramente simbólico, para nós pessoas sonhadoras não é bem assim não!!! E para as que estão nessa espera do baby que não vem então… É uma recarregada de energia de que esse pode ser “O ano!” E claro que sim! 2016 será o ano de realização da maternidade para muitas!

Passamos do clima natalino, um pouco nostálgico para aquelas que ainda continuam com a árvore sem o presente tão sonhado, para o momento do ano novo que para muitos é motivo de virar a paginar e decidir voltar a acreditar e RECOMEÇAR! É um turbilhão de sentimentos num breve espaço de tempo, é um chorar breve a um sorriso largo, e uma vontade de vencer absurda!

Já me tem chegado algumas histórias lindas que em breve serão postadas (caixa postal cheia para administrar tanto carinho e confiança) , que irão de presentes para você aí que está carente de encher o peito de ânimo e expectativas maravilhosas. Então se depender de mim, pode deixar que aqui estarei para andar junto com cada uma que passar por aqui, seguindo insistente até onde Deus continuar apontando que devo ficar na área, lembrando dia após dia para cada uma de vocês que eu passei na pele durante 6 longos anos de luta contra a infertilidade, e que VENCI, assim como você vencerá!

Se está aí essa  vontade enraizada no seu coração em ser mãe… Se depender de mim, não tem mais volta! Porque aqui estarei gritando docemente que não vale a pena desistir, até conseguir!

Acredite, falta menos… Falta menos… FALTA MENOS!

E que venha 2016 repleeeeto de novas mamães por aqui! E não esqueçam de virem me avisar das suas vitórias, combinado? Adooooro e vibro por cada uma!!!

Beijo no coração e mais uma vez obrigada por estar por aqui, somando nesse projeto de esperança.

Com amor, Taci

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
13 dez
Juntos, SEMPRE!

casal

Um dos sentimentos que vejo que existe diante de tanta angústia nessa espera pelo filho que não vem é o medo do companheiro(a) se cansar, não ter paciência e não esperar ao lado até o “fim”. E é algo que gostaria que refletissem comigo hoje. A pessoa que está contigo se apaixonou por você, te conquistou, te admirou pelo que você é, por esta mulher que existe aí, mesmo que você própria tenha se esquecido, volte às lembranças do início, lembre-se de vocês, como se apaixonaram, quais as qualidades que chamaram atenção um ao outro. Aposto que jamais alguém olhou para outro já com o imediato interesse de imaginar aquela pessoa como a mãe ou pai dos seus filhos. Esse desejo e certeza vem com o tempo após já haver uma relação minimamente consolidada. Quando se libera para engravidar a aposta é que em breve já estarão ali grávidos e felizes fazendo o enxoval do rebento e muitas vezes, bem sabemos, que não é bem assim não… Os meses passam, alguns diagnósticos aparecem, outras vezes não, e a ansiedade vai tomando conta do panorama… Exames e mais exames, Probabilidades, picadinhas, as vezes cirurgias no meio do caminho, outros procedimentos mais, e a ESPERA que vai nos consumindo… E no meio de TUDO isso as vezes surge a insegurança de que o companheiro não aguente esperar, caminhando ao lado… O que lhes tenho a dizer? Que se ele lhe ama de verdade ele esperará até o fim, até o desenlace final, segurando a sua mão e torcendo por vocês dois. Porque quando surge a infertilidade não deve existir culpados e sim um casal que sonha junto e que sendo assim devem permanecer juntos e unidos sempre, aguardando o que lhes estiver reservado, um filho da barriga, um filho adotivo ou até, de comum acordo, o não ter filhos. Acima de tudo está o casal, assim começaram só os dois e este fato da dificuldade de não conseguirem engravidar não deve ser sob hipótese alguma motivo para uma separação, ao contrário, deve ser sim motivo de maior união e apoio. Se sua parceira ou seu parceiro foi diagnosticado com algo que esteja impedindo a gravidez tão sonhada e este(a) decide correr atrás e se dispor a tentar contornar a situação deve mais ser admirado(a) e mais amado(a)! Alguma vez já citei essa cena por aqui mas volto a repetir… Sim, eu também já passei pelo que algumas de vocês está passando, estava no hospital no pós-operatório de uma cirurgia de endometriose e já naquele momento desabei e disse entre lágrimas ao marido que ele não tinha para que continuar comigo caso não conseguisse lhe dar um filho e para minha grata surpresa recebi uma lição e prova de amor quando ele seriamente, e até um pouco chateado, me disse para NUNCA, jamais repetir aquilo, porque ele tinha se apaixonado por mim, porque éramos felizes demais os DOIS e que ele me admirava muito por estar passando por tudo aquilo pelo NOSSO sonho, confessando inclusive que se fosse ele não saberia se teria a mesma coragem que eu estava demonstrando ter. Naquele momento eu entendi a “mensagem”, naquele momento compreendi que o amor vai além, que isso o que eu senti e que de repente você esteja sentindo é muito mesquinho diante do amor verdadeiro, que tudo suporta, que é fiel, que é leal, que apoia quando você mais necessita, que está ao seu lado literalmente para o que der e vier. ENTENDEU? Espero que sim! Que ambos os lados possam analisar sua postura nesse momento.

Por um lado: você está se valorizando como deveria? Por outro lado: você está valorizando e apoiando seu companheiro(a) como deveria? Se não, a começar agora! Definitivamente quem ama cuida e PONTO FINAL.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
29 nov
Cartinha Diferente dos Últimos Natais

papai-noel

Bom Velhinho, mais um dezembro se aproximando e aqui estou eu novamente… Após anos pedindo por mim e te implorando um filho, o senhor finalmente me atendeu, e de forma brilhante!!! Foram natais seguidos inesquecíveis, jamais esquecerei! Desde a chegada das minhas princesas que a minha árvore se tornou MUITO mais bela e feliz! Elas sempre serão os melhores e mais lindos presentes da minha vida, elas chegaram para me transformar, para preencher meu coração de uma maneira jamais sonhada, e olhe que o senhor bem sabe o quanto sua filhinha aqui é sonhadora… Mas essas duas menininhas conseguiram superar em TUDO o que eu esperava daquela maternidade sonhada! Elas me ensinam dia após dia tantas coisas lindas! Elas sem dúvidas me fazem ser uma pessoa muito melhor! Elas me instigam a buscar um mundo melhor, elas me inspiram a escrever coisas lindas e pregar o bem e a paz entre os homens, elas são TUDO para mim e serei para sempre agradecida por esses preciosos presentes!

E pelo relatado nos natais que sucederam as chegadas de ambas me senti tocada de pedir por outras mulheres, algumas conhecidas, outras que nem conheço, uma amada do meu coração, enfim comecei a te mandar cartinha pedindo por elas, por TODAS as mulheres desse mundo que aguardam ansiosamente a vinda de um filho. Mulheres que tem tanto amor para dar e que não vêem a hora de poder assim fazê-lo ao serem mães! O senhor bem sabe né? Quando pensava que estaria livre das minhas cartinhas insistentes lá vim eu seguir pedindo mais filhos, não para mim, mas pelas as demais! E assim continuarei fazendo viu? Não me cansarei, tendo certeza que da melhor forma o senhor irá cumprir e realizar o sonho de cada uma!

Mas este ano, Papai Noel, venho lhe pedir algo que até então não havia pedido… Lhe peço para que tragas a confirmação da causa e também o controle para tantos casos de microcefalia apresentados nos últimos meses. Este será um natal atípico para muitas mulheres… De um lado grávidas angustiadas com receio de contrair o zika vírus (que até então se aponta como possível causador), também mamães tristes já com o diagnóstico confirmado de que seus bebês são portadores da microcefalia, por outro lado mulheres que sonham em engravidar e que neste momento se sentem “perdidas” devido ao panorama apresentado. Então meu pedido em destaque é este Bom Velhinho… Que possas de alguma maneira agilizar este controle da microcefalia, que dentro de pouco tempo tudo isso já fique para trás e que possamos no próximo ano poder voltar a pedir “apenas” pela realização do sonho da maternidade para todas!

Vá lá trabalhar e nos traga boas novas! Que terminemos 2015 com corações mais tranquilos e que em 2016 vários Natais sejam repletos de cheirinho de bebê para a maioria dessas mulheres que sonham em serem mães, combinado? Confiando, como sempre, assim espero!

*Deixo claro que a figura do Papai Noel que aqui me refiro é uma forma lúdica que uso para na verdade me referir ao “Papai do Céu”, o verdadeiro aniversariante dessa festa linda de Natal, que não só nos presenteia e nos cuida nesta época, mas em todos dias das nossas vidas. 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
23 nov
Microcefalia: Questionamentos e MINHA opinião

microcefalia

O Brasil vive uma emergência nacional em saúde. Centenas de crianças no Nordeste nasceram nos últimos meses com cérebros menores do que o normal. É a chamada microcefalia.

Por morar em Recife, e Pernambuco ser o estado da grande maioria desses casos, venho recebendo emails de algumas seguidoras me questionando várias coisas, me pedindo conselhos e dividindo também suas angústias. Prevendo que algumas gostariam de entrar em contato comigo e não o fazem, resolvi então repassar para todas alguns posicionamentos meus sobre esta situação preocupante e atual.

Você evitaria, caso ainda estivesse tentando engravidar?

Evitar engravidar para quem está há algum tempo sonhando com isso é MUITO difícil. O prudente conselho do Ministério da Saúde é que todas mulheres evitem a gravidez neste momento.

O que eu acho que faria… Eu daria uma pausa nos tratamentos de reprodução assistida, trataria de encarar isso como umas “férias” para mim e para meu esposo em relação a este tema. Muitos casais necessitam dessa pausa para respirar, se recompor de toda essa ansiedade e, em alguns casos, de algumas frustrações também, e seria então uma boa “desculpa” para esse descanso. Se eu evitaria de outra forma? Acredito que não, estou sendo sincera, de repente não estou sendo responsável como deveria, mas não seria capaz de por exemplo tomar anticoncepcional ou fazer meu marido usar preservativo para evitar uma possível -e remota – gravidez.

Caso engravidasse neste momento como encararia?

Com muita felicidade! Afinal era o que mais sonhava na vida! Sei que não seria o momento mais “apropriado”, mas se foi o que Deus permitiu encararia da melhor forma! Desde o primeiro minuto com muita precaução, seguindo a risca os conselhos do meu obstetra. Os casos de contaminação por zika vírus registrados no primeiro semestre são a “principal hipótese” para explicar o aumento da ocorrência de microcefalia na região Nordeste, e devido a isso a recomendação é se prevenir ao máximo das picadas de mosquitos. Como me conheço, não entraria em pânico, mas exageraria nos cuidados, utilizando sempre o repelente indicado, vestindo roupas que cobrissem a maioria da pele do corpo, e evitando lugares mais propícios da presença de mosquitos.

E se ainda estando grávida e descobrisse que seu bebê nasceria com microcefalia?

Não deve ser nada fácil! Qual mãe deseja ter um filho com deficiências? Ninguém, não é mesmo? Após “digerir” a notícia o seguiria desejando e amando, afinal seria MEU filho e esta seria uma prova de aprendizado e muito amor, para vida toda. Uma seguidora me perguntou se fosse ainda possível, ao confirmar, se eu abortaria, e eu lhes respondo com toda certeza do mundo: JAMAIS!

Esses foram os resumos das perguntas mais questionadas e respondidas sobre este surto de microcefalia.

Por outro lado, quanto a decisão de adiar algum tratamento de reprodução assistida (que assim eu o faria) já estou sabendo que duas renomadas clínicas do Recife que já estão procedendo com a indicação para as pacientes adiarem transferências embrionárias para o próximo ano, aguardando assim um posicionamento mais contundente do Ministério da Saúde, postura admirável e de extrema seriedade e responsabilidade.

Torcemos que em breve a situação já esteja controlada! Amém?

E termino este post trazendo para vocês um texto belíssimo de uma mãe de uma criança portadora de Microcefalia, texto este escrito com muito amor, e que nos faz repensar algumas posturas frente a esta enfermidade que tem assustado tantas mulheres… Com vocês o texto que Ana Galvão Janiszewski publicou na sua página de facebook na semana passada, para todos que queiram ler ter acesso a palavras tranquilizadoras, lindas e admiráveis em especial às mães, grávidas ou já com seus bebês diagnosticados. Definitivamente o amor tudo suporta, tudo vence!

“Diante desse “surto” de Microcefalia, eu, como mãe de uma criança com a “doença” gostaria de me pronunciar sobre isso. Não sobre a causa mas sobre as consequências.
Minha vontade é pegar na mão de cada mãe que está grávida ou que já está com seu filhinho nos braços que possui microcefalia olhar nos seus olhos e dizer: “Olha, o Pai Celestial te deu a oportunidade de saber o verdadeiro sentido do amor incondicional, amor puro.
Não se desespere, não há motivos para tristeza, angústia e questionamentos. Ame seu filho.
Pare de procurar culpados e motivos. Não perca seu tempo buscando a cura física, aceite pois ele é espiritualmente perfeito!..Apenas ame seu filho.
Fisioterapia, fono, Terapia ocupacional, neuro, são necessárias e vai fazer parte de seu dia-a-dia, mas “sem neuras” por favor.
Viva cada momento, aprecie cada conquista: ame seu filho.
Encare como uma característica particular, peculiar, um “jeitinho” especial de ser. Ame seu filho.
Sim, é provável que ele não ande, não fale, não frequente a escola e não seja convidado para as festinhas infantis… E daí? Você vai bastar no mundinho dele.
Você vai amar tanto essa criaturinha que sequer vai dizer que te ama… não com palavras… Na verdade você vai sentir esse amor em cada olhar, em cada sorriso. E aí você vai descobrir que o anjo que mora na sua casa você o chama de filho.”

Eu sou tão feliz pelos filhos que tenho, cada um especial… a sua maneira.”

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
19 nov
Paulo Matheus: Mais Um Milagre de Deus!

Paulo

Em março deste ano recebi um email de uma seguidora que resolveu me relatar sua longa história de 8 anos de luta contra a infertilidade. Naquele momento ela estava partindo para sua 3a fertilização in vitro.

Ela se chama Paula, casada há 12 anos. Como muitas, Paula, após alguns anos de casada, liberou para engravidar e pensava que seria de imediato. Passado um ano de tentativas, ela e seu marido foram atrás de algum diagnóstico para justificar a gravidez que não sucedia. Até que numa histerossalpingografia foi detectado um estreitamento do colo do útero. Por não haver obstrução nas trompas e nada mais ser detectado, o médico lhes sugeriu seguir tentando por um ano mais de forma natural, e assim o fizeram e não obtiveram êxito novamente.

Após mais este ano de espera procuraram outro médico, especialista em reprodução assistida, que lhe indicou fazer uma histeroscopia, foi então encontradas sinéquias uterinas que estariam impedindo a gravidez. Pensando haver solucionado o problema, tentaram naturalmente por mais um ano e nada…

Resolveram então partir para o primeiro tratamento de reprodução. A indicação seria uma inseminação artificial, se prepararam, mas na hora do procedimento o cateter passou com muita dificuldade. Dias depois foi confirmado que não havia dado certo. Devido a esta dificuldade na passagem do cateter foi indicada mais uma histeroscopia, onde foi constatada mais uma sinéquia que estaria atrapalhando a passagem do canal. Meses depois partiram para outra inseminação e o resultado foi outro negativo a mais.

Chegaram ao limite naquele momento e resolveram dar um tempo. Viajaram e tentaram ao máximo se desconectar do tema, mas o sonho da maternidade nunca deixou de estar latente no coração da Paula…

Após esta pausa, voltaram com tudo aos tratamentos e desta vez partiram para a fertilização in vitro! Conseguiram 2 lindos embriões para transferência e na hora… o cateter não passou! Resolveram adiar para o dia seguinte para serem transferidos com a presença de um anestesista para sedá-la, e assim foi feito, porém ao despertar ela teve a triste notícia de que os embriões foram congelados porque não conseguiram fazer a transferência. E lá foi ela, arrasada com a situação, mas ao mesmo tempo cada vez mais convicta de que era o que mais queria na vida, dessa vez  foi  indicado a realização de uma histerossonografia (exame de ultrassom que dura em média 30 minutos em que é inserido através da vagina um pequeno cateter até ao útero para ser injetado uma solução fisiológica que vai facilitar ao médico a visualização do útero e a identificação de possíveis lesões, como miomas, endometriose ou pólipos) e posteriormente feita mais uma histeroscopia, onde lhe confirmaram que haviam desobstruído o canal. Após alguns meses desse procedimento, foram transferidos aqueles embriões congelados, e mais uma vez não deu certo.

Mais um tempo foi dado pelo casal, sabiamente sentiram que precisavam “respirar” de tudo aquilo que os vinha maltratando nos últimos anos. Apesar deles gostarem muito da equipe médica que os acompanhava, resolveram mudar e foram se consultar com outro médico, médico este que requisitou vários exames até então nunca requisitados e que lhes passou muita confiança e esperança.

Partiram para a segunda fertilização e deu certo!!! Enfim, haviam conseguido! A alegria foi imensa! Montaram um vídeo para dar a notícia às famílias, uma festa! Porém na 12ª semana, numa ultrassom, foi constatado que o bebê não havia se desenvolvido, e eles se depararam com o fim do sonho devido a um aborto retido. Tristeza sem fim!

3 meses após o aborto eu recebia um email da Paula me relatando toda sua história e finalizando assim:

“Estou tomando DHEA (vitamina) e ácido fólico, meu marido está
 tomando vitamina C com zinco, vitamina E e ácido fólico, com esperança de
ter mais embriões na próxima tentativa, que estamos programando para o
 próximo mês, com muita fé e esperança que tudo dará certo…
Gostaria de lhe agradecer pela ajuda diária que dá a tantas mulheres
que estão passando pelo que já passou e hoje conta sua história de
 vitória, tenho certeza, que pela misericórdia de Deus, tbm contarei
 a minha.
 Abraços,
Paula”

E exatos 3 dias após este email recebo mais um email da Paula para me contar algo…

“Taci!

Como havia lhe contado, estava me preparando para fazer a terceira FIV
no próximo mês, estava apenas tomando o DHEA e o ácido fólico,
 minha menstruação era pra ter chegado no sábado e não chegou, no
 domingo nada, na segunda nada, então pesquisei na internet e vi
 alguns casos de mulheres que ficaram com o ciclo irregular após tomar
o DHEA… Ontem a noite resolvi comprar um teste de farmácia para
 fazer hoje de manhã, e desencanar, e para minha surpresa, as 2
 listrinhas apareceram lindas e fortes, não acreditava no que eu
estava vendo, estava diante de um milagre de Deus em minha vida…
 Dessa vez, não fiz surpresa para meu marido, chamei e em estado de
 êxtase disse: Amor, aconteceu um milagre… ele com lágrimas nos
 olhos não acreditava no que estava acontecendo, só dizia: calma,
Paula… rsrs Então fomos no laboratório e fiz o Beta, que confirmou
 com Resultado: 850,10 mUI/ml.

bjosss e obrigada pela força que tem dado a tantas mulheres que como
 eu sonham em ser mãe.

FELIZ É POUCO!
 Paula”

De lá para cá, tive o privilégio de ir recebendo notícias da evolução da gravidez da Paula,  me enviando emails carinhosos e me fazendo participar de alguma forma da sua vitória!

Sábado passado abro meu email e para “finalizar” esta bela história de esperança que ela fez questão que eu dividisse com vocês com este post, ela me avisa da chegada do grande amor da sua vida, do seu sonho realizado, da melhor surpresa de todos os tempos, Paulo Matheus havia nascido e junto com ele pais guerreiros confirmam que TUDO valeu a pena, cada exame, cada negativo, cada dor sentida e vivida, nada se compara a esta realização de tê-lo em seus braços, para sempre nas suas vidas!

“Taci, Boa noite!

É com muita alegria que escrevo esse email para dizer que meu milagre de Deus, Paulo Matheus nasceu quarta-feira dia 11/11 às 20:10h com muita saúde, irradiando alegria para toda nossa família e amigos.
Pode postar nossa história quando desejar, ficaremos felizes em ajudar outros casais a não desistirem dos seus sonhos.

Beijos, Paula “

Sigo insistindo! Eu vivi um milagre, já presenciei muitas histórias de milagres e hoje o lindo Paulo Matheus é mais uma prova de que quando Deus quer… Milagres acontecem!!!

parto paulo

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
15 nov
Abrindo o coração, após um café especial!

café

A pedidos relatarei brevemente sobre esta nova proposta de encontro do blog, que aconteceu no sábado da semana passada e foi uma DELÍCIA! Mas antes, já que não consigo resumir bem nada mesmo rs, venho lhes falar um um pouquinho de TUDO o que o blog tem causado na minha vida.

O blog vem tomando uma dimensão que me surpreende dia após dia, e só me confirma aquela sensação inicial de que estou no lugar certo, fazendo a coisa certa, sabe como é? O blog surgiu de uma “avalanche” de sentimentos que eu tinha dentro de mim, após a luta para conseguir engravidar durante 6 anos, a vitória após uma longa trajetória de tratamentos, cirurgias e outros detalhezinhos no meio do caminho, e a grande surpresa da minha vida ao engravidar – naturalmente – quando a minha primogênita tinha apenas 8 meses de vida! Os anos foram se passando após ter realizado duplamente o meu sonho de ser mãe, mas a vontade de gritar alto a minha história e levar esperança por aí me “incomodava”, eu tinha que fazer algo, eu não poderia passar por esta vida,  sem chegar mais “perto” de outras mulheres que estariam passando pelo que eu já tinha passado e sentido na pele. Não seria justo. Ao meu ver não seria legal “simplesmente” virar a página para ser a mãe das minhas preciosas filhas, eu tinha que encontrar uma maneira de contar a minha história e a história de muita gente que fui conhecendo no caminho, levando esperança a tantas pessoas que se sentem tão sozinhas nessa caminhada… Primeiramente veio a ideia de escrever um livro (que enfim está sendo escrito pessoal!) e em seguida, através de uma sugestão do maridão, surgiu o blog! E daí foi, e foi, e foi, e foooooi, e está sendo! Até hoje me surpreendendo e me dando vontade de quero mais!

Me lembro bem dos primeiríssimos posts, dos primeiros emails recebidos, das primeiras centenas de curtidas nas redes sociais, da minha emoção e surpresa ao confirmar que eu não estava enganada, que Deus me queria aqui, exatamente onde estou!

No início deste ano, senti que chegava o momento de se pensar num primeiro encontro presencial. Sabia que seria um grande desafio para mim, mas também sabia que deveria fazê-lo e lá fui eu! Para quem ainda não sabe, eu trabalho num Órgão Público e tenho várias outras tarefas mais na vida, sou esposa, mãe, filha, dona de casa, entre outras ocupações que demandam tempo e dedicação, e o blog veio para agitar tudo isso e definitivamente me fazer virar nos 30! Horas de sono a menos, leitura, pesquisas, responder a emails e mensagens diariamente (que faço questão!), e organizar aquele encontro de maio passado foi uma verdadeira loucura na minha vida! Digo que foi uma “loucura linda” porque valeu a pena todo stress, corre corre e dedicação para concretizar aquele encontro! Mais uma vez naquele momento confirmei de uma forma única o que venho sentindo desde o momento que decidi me “aventurar” a esta vida de “blogueira” (jura? ainda acho rara essa expressão “fashion” nessa causa tão delicada) que ama o que faz! Me surpreendi ao anunciar o encontro e de repente já ter vários parceiros me contactando e apoiando o projeto! Desde armar o coffee break, passando pela decoração, chegando brindes maravilhosos para distribuir com as presentes, até a confirmação rápida da participação da renomada médica em Reprodução Assistida aqui do Recife, Dra. Madalena Caldas, que virou seguidora e fã do blog desde os primeiros momentos, e abraçou também esta causa, me animando sempre a seguir! Foi muito lindo aquele momento!!!!! Mas hoje venho lhes falar de outro momento marcante para mim…

Não poderia fechar o ano sem outro encontro Maternidade Sonhada… Mas sabendo das minhas limitações neste momento referente a minha disponibilidade de tempo, e por analisar também a época de final do ano que complica para muita gente, pois caso fosse fazer no formato do encontro de maio, teria que marcar pelo menos para último final de semana de novembro para poder organizar tudo… Então me reportei aos encontrinhos que tanto frequentei provocados por mulheres que se conheceram através de bate papos na internet, na minha época de tentativas, e que TANTO me faziam bem. Já vinha com a ideia na cabeça há poucos dias, contactei um café charmoso que conheço para saber a possibilidade de reserva de algumas mesas e mais uma vez ousei! Tomando café da manhã na quarta-feira anunciei, através de um vídeo do jeito que estava na mesa de casa antes de sair para jogar tênis (sim! ainda arrumo tempo para me exercitar!),  um novo encontrinho Maternidade Sonhada para o sábado seguinte, ou seja para dentro de 4 dias logo após o anúncio! Logo após começaram a chegar alguns emails confirmando as presenças de algumas seguidoras. Por se tratar de um ambiente público algumas, apesar da expressa vontade de estarem presentes, se recusaram a ir, outras se animaram e confirmaram, e desde então meu coração ficou em festa! Eu sentia, eu tinha certeza que seria mais um sucesso, não um sucesso meu, um sucesso do resultado do blog em si, mas o sucesso desse sonho lindo que supera tudo! Que faz você correr atrás de buscar forças através de um papo com pessoas que sabem bem o que você sente, movido pelo amor por este serzinho que ainda você nem conheceu mas já o ama demais!

Antes de sair de casa, abracei o marido e ele me perguntou: “como será este encontro? você organizou algo para expor?”. Sorri, um sorriso tranquilo, eu bem sabia que não teria como dar errado, eu sabia que fluiria naturalmente, era a junção de mulheres com apenas um ideal, se unirem para se sentirem mais fortes e assim bem foi, como eu bem previa, aliás mais do que eu havia imaginado!

Cheguei ao café dez minutinhos antes do combinado e para minha surpresa já estavam “me esperando” duas seguidoras! E aos poucos foram chegando mais e mais… E cada uma que entrava já vinha me abraçar como se me conhecesse há muito tempo! Afinal “entro” diariamente na vida de várias de vocês através das redes sociais, para levar esperança, apoio, consolo e as vezes até um puxão de orelha, não é minha gente? E foi lindo demais! 3 horas sem intervalo de bate papo, de trocas de histórias de vida, de experiências, de dicas, de risadas e algumas poucas lágrimas, de emoção, de alegria por estarmos ali reunidas, de olharmos umas para as outras e termos a certeza de que somos “de verdade”! Meu palpite é que começarão encontrinhos isolados por aí e isso é bom demais! E vez ou outra eu provocarei também, claro!

Se valeu? Valeu MUITO! E já ficou a vontade para um próximo encontro, daqueles maiores… Aguardem para início de 2016! Já tem médicos maravilhosos confirmados inclusive!!! Este será aqui no Recife mais uma vez sim… Mas meu coração pede para eu pegar um avião quem sabe ano que vem… Será? Eu gostaria! Seja o que Deus quiser!!! Que venham as cenas dos próximos capítulos…

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone
05 nov
Adoção: o que EU penso!

Nós 3 praia

Gente, há algum tempo sinto que algumas pessoas ficam intrigadas quando posto alguns artigos e mensagens referentes à adoção. E aproveitando o dia 9 de Novembro que se aproxima, estipulado como o Dia Mundial da Adoção, bateu a vontade de abordar e assim expressar minha visão sobre o tema por aqui.

Antes que nada lhes explico que o Maternidade Sonhada é um espaço de apoio à TODAS mulheres que sonham com a maternidade, sendo assim a maternidade pode se realizar tanto pelas vias naturais, gerando um filho através da gravidez, ou também através da adoção, onde curto muito a expressão “gravidez do coração”. Portanto, por isso, sempre que possa lhes abordarei também esta forma de sonhar e se realizar com a maternidade. Inclusive aqui no blog entre na Categoria “Histórias de Esperança” tenho alguns exemplos felizes da realização de mães através da adoção, e quem nos acompanha nas redes sociais observa o quanto trago artigos e casos sobre.

JAMAIS poderia me fechar para esta possibilidade, ao contrário, eu apoio, admiro e me emociono demais com os casos que se realizam através da adoção! Convivo com várias mulheres, mães de filhos adotivos, que para mim são exemplos dessa realização plena, e lhes garanto que a forma como eles chegaram a elas, se torna um mero detalhe diante de tanto AMOR. Definitivamente eles, como os filhos gerados na barriga, se tornam pedaços dessas mulheres, as realizando por completo.

Não cheguei a vivenciar a adoção na minha vida diretamente mas lhes confesso que ela já estava dentro do meu coração como opção, após tantos anos de tentativas nos tratamentos de Reprodução Assistida. Quando estava prestes a começar a agir para o possível cadastramento… engravidei! Tudo dependeria do resultado daquela última tentativa de fertilização in vitro que acabou dando certo. Mas com minha Nana tão bebê, por eu vir de uma grande família de 4 irmãos, me apertava o coração ao imaginá-la sem nenhum irmão na sua vida, e aquela vontade começaria a aflorar novamente, mas não tive muito tempo para tal, visto que engravidei de novo -naturalmente- quando ela ainda tinha apenas 7 meses de vida!

Me adianto, antes que por ventura alguém pense em me questionar: “se apoia tanto a adoção por que  não partiu diretamente para adotar?”. Porque eu sonhava com meu barrigão, e assim como eu qualquer mulher tem total direito de sonhar e correr atrás disso, que seria digamos a primeira opção para a grande maioria das mulheres. Claro que estou ciente que tem uma minoria que tem aflorado esse desejo pela adoção diretamente, o que acho super bacana, mas temos que concordar que o mais comum é primeiro o desejo de conceber, de ficar grávida, para só depois despertar para essa possibilidade de ser mãe através da adoção. E no meu caso, como na maioria, foi exatamente assim. Lutei durante 6 anos, me operei duas vezes, fiz uma inseminação, tratamentos hormonais, 3 fertilizações, muitas lágrimas pelo caminho, para chegar ao momento de consciência de que poderia optar pela adoção, o que não foi necessário porque justamente engravidei por dois anos consecutivos e me realizei por completo com minhas duas princesas.

Então, o que eu penso? Se você se sente tocada para a adoção, não duvide e corra atrás! Se você quer ser mãe e sonha em passar pela experiência da gravidez não poupe esforços! Qualquer que seja a forma está valendo a pena sonhar e lutar por ela, e uma coisa é garantida: independentemente da maneira que chegue o seu filho, ele assim será o maior amor da sua vida! Lhe fazendo sentir exatamente o que vivo reafirmando dia após dia por aqui: TUDO valerá a pena!

Meu desejo? Que o sonho da maternidade seja realizado para toda aquela que sonha com este momento. Um beijo no coração de cada mulher que bravamente está na luta pelo direito de se tornar MÃE! Às que estão na luta esperando nas filas para adoção muita paciência e paz na espera, e que as burocracias sejam menores e possa assim agilizar estes processos de espera que as vezes parecem ser infinitos… Às que estão nas tentativas através de tratamentos de Reprodução ou por vias naturais mesmo, que sigam em frente, mas se por acaso seu coração der um sinal de que possa estar “grávido” e aberto para adoção, não ignore este chamado…

Muita força, muitas ligações com boas novas com a chegada do momento do GRANDE encontro, e muitos positivos às que tanto sonham com este dia também! Topo meu apoio às futuras mamães, independente da forma que seja, sendo todas formas de amor, do amor infinito e incomparável, do amor de MÃE.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone