13 set
Quero ser Mãe
Cláudia Collucci
Um dia eu estive no seu lugar, nas tentativas para engravidar, e  “de repente” sou para algumas de vocês “a Cláudia” que tanto me ajudou um dia…
Lhes explico… Na época da minha luta contra a infertilidade eu encontrei um cantinho similar a este. Um cantinho que me significava tanto, que me confortava, que me animava, que me fazia acreditar que deveria seguir e não desistir. Era um blog intitulado “Quero Ser Mãe”, maravilhosamente escrito por uma jornalista, a quem admirei desde o primeiro instante, desde a primeira leitura de um texto seu, chamada Cláudia Collucci. Jornalista da Folha de São Paulo, e que na época também estava nas tentativas para ser mãe. Então ela escrevia com precisão sobre o tema, ela sentia na pele exatamente o que eu e outras tantas mulheres sentíamos também, e ela além de não haver ainda conseguido engravidar, sabia de maneira ímpar como acalentar nossos corações. Cláudia foi MUITO especial para mim durante aqueles anos. Anos aqueles que parecem estar décadas atrás quando se refere à tecnologia atual, não existia whatsapp, instagram, as redes sociais mal existiam em comparação aos dias atuais, aliás a internet não havia chegado aos telefones, wi fi era algo inimaginável ainda, pelo menos para mim, hoje tão “dependente”…
Enfim, hoje, através de carinhosas mensagens tenho a honra e orgulho de me sentir um pouco “a Cláudia” na vida de vocês, tendo tido a responsabilidade linda de lhes acolher e de uma forma iluminada escrever algo que para algumas, naquele exato momento, era justamente o que necessitam escutar. Me lembro bem que muitas vezes chegava em casa a noite e ao abrir o computador e me deparar com uma nova mensagem daquele blog era uma alegria imensa! E aqui estou nesta posição anos depois… e é algo mágico ir sentindo que estou desbravando uma missão que tem enchido o meu coração e que tem me levado a este caminho novo e desafiador. São horas a mais de trabalho na minha vida, para quem não sabe trabalho 6 horas num Órgão Público e ainda tenho duas meninas lindas e sapecas, um marido para acompanhar e uma casa para administrar… Mas lhes confesso que tem valido a pena cada hora a menos de sono e um jogo de cintura louco para dar conta da melhor maneira, de tudo.
E quero seguir sendo “a Cláudia” na vida de todas vocês que me deixam entrar nos seus corações, que as vezes me deixam até dar pitacos nas suas vidas, que recebem chamadas e “puxões de orelha” virtuais através de palavras, mas sempre com muito carinho, no intuito de arrastá-las contra tudo que possa fazê-las desistir deste sonho da maternidade.
E mexendo no computador e organizando emails antigos encontro este que enviei para Cláudia em outubro de 2006… Email escrito na emoção, email sonhado, email “dívida” que eu sentia que deveria JÁ o quanto antes escrever para ela, que foi um grande suporte para mim, que me “deu a mão”,mesmo muitas vezes precisando de uma mão, mas que sempre estava por ali a me dizer através dos seus textos: “acredite!”
Com muita emoção divido com vocês aquelas palavras tão esperadas por mim naquele momento, que tenho gravadas no meu email até hoje…
Para você Cláudia Collucci meu eterno agradecimento!
“Cláudia querida, depois de 6 anos nessa espera,
finalmente no ultimo dia 06, após a 3. FIV, tive a
enorme satisfação de ver um numero que jamais esquecerei
na vida:271 – o resultado do meu beta! Tirei licença
do trabalho e nessas últimas semanas a minha única
prioridade é meu bebê tão sonhado que carrego no ventre… O
caminho não foi fácil, 2 operações por causa da
endometriose, tratamentos hormonais, 1 inseminação e 3 FIVS… A ansiedade com
certeza em alguns momentos esteve presente (inclusive, ainda,
por estes dias no princípio da gravidez) mas nunca
jamais deixei que tomasse conta do meu ser, da minha
vida. Acredito que ansiedade sob medida é legal, porque nos
faz crescer e “ambicionar” certas coisas e momentos
saudáveis da vida, mas nunca devemos ser prisioneiras
desse sentimento. Creio MUITO em Deus e nessa última
FIV (a qual de comum acordo com meu marido seria a
ultima tentativa) ACREDITEI de coração e me entreguei
por completo a cada detalhe do tratamento mas
principalmente a JESUS para que fosse feita a vontade DEle!
Necessitava dividir contigo que tanto me ajudou.
Beijo Taci”
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário