14 set
Se “expor” ou não, eis a questão!

O que tenho observado por aqui é exatamente o esperado… Muita gente lendo, muita gente curtindo mas pouca gente “se expondo”, super normal! Mas quero dividir com vocês algumas experiências minhas sobre estes grupos na internet e o quanto eles me ajudaram.

O primeiro espaço que encontrei na internet sobre infertilidade foi o fórum da UOL no ano de 2002, espaço este que me dava a possibilidade de troca de experiências, de ler alguns depoimentos e também poder expor algumas dúvidas, angústias, sentimentos, enfim de me abrir e me sentir melhor, sabendo que ali também estariam outras mulheres que estavam passando ou que já haviam passado pelo que eu estava passando naquele momento. Através deste fórum da UOL algumas mulheres foram se identificando por regiões e chegou um momento em que surgiu a curiosidade de algumas se conhecerem pessoalmente! Foi o que aconteceu aqui em Recife e que lhes contarei sobre em um determinado post, por ser uma linda e comprida história que dura até hoje, acreditam?! Ganhei de presente pessoas que se tornaram amigas minhas e foram fundamentais na minha caminhada pela maternidade, e hoje “trocamos figurinhas” sobre a maternidade em si.

Também participei de um blog muito legal, infelizmente desativado, da excelente jornalista Cláudia Collucci da Folha de São Paulo. O blog se chamava “Quero Ser Mãe” e estive presente ali desde 2005 até 2012 , em alguns momentos mais assídua que em outros, mas sempre dava uma passada e deixava algum comentário. Foi a partir de um comentário meu naquele blog que surgiu o convite para aquela matéria do dia das mães em 2008, no jornal Folha de São Paulo.

No decorrer dessas participações nesses grupos a pessoa vai começando a se identificar com determinadas participantes, isso flui naturalmente. Você vai se identificando com aquela que tem o caso parecido com o seu, ou com aquela que está na luta num período parecido com o seu, ou com aquela que se expressa de uma forma que te sensibiliza mais, e por aí vai… E daí de repente você começa a fazer contato pessoal, através do e-mail da pessoa e isso também é muito gostoso. Você ganha amigas “virtuais” que estarão ali sem ter que te olhar nos olhos, o que constrange muita gente, mas que você se identifica e se sente bem com essa “troca”.

Nesses grupos existe uma torcida em comum! Me lembro a minha alegria quando abria o blog e me deparava com um positivo! Aquilo me enchia de esperança e me fazia dar forças para seguir em busca. Como sonhava em voltar ali algum dia com a sonhada notícia do meu positivão! Como assim aconteceu, por duas vezes uhuu! Também me lembro bem de alguns negativos e uma onda de carinho e contenção que surgia através do apoio expressado ali…

Que tal começarem me contando um pouco mais sobre vocês? Primeiro passo: se ainda não se cadastrou, se cadastra! É bem rapidinho! Só basta clicar no CADASTRE-SE e você fica por dentro instantaneamente de todas novidades do blog. Segundo passo: querendo deixar um comentário deixe sem duvidar! Lhes esclareço que o comentário fica vinculado a determinado post e não tem visualização em redes sociais ok? E por último, caso seja algo muito pessoal e mais delicado tem a possibilidade de me enviarem mensagens para mim via o blog no espaço FALE COMIGO ou se preferirem diretamente no meu e-mail: tacilira@maternidadesonhada.com.br.

Então meninas, venho aqui lhes animar a “se exporem” sem medo! Não tem que ter vergonha de nada! Tem mais é que ter ORGULHO de ser corajosa em lutar por um sonho! E aqui é um espaço de nos unir por esta causa tão nobre que é este desejo lindo de SER MÃE.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário